app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5731
Esportes

ASA empata e cai para �ltima coloca��o

| FERNANDA MEDEIROS Repórter O sinal vermelho acendeu para o ASA, ontem, depois do empate do Alvinegro arapiraquense com o Corinthians, por 1x1, e a vitória do então lanterna da competição, Ipanema, sobre o Bom Jesus, por 2x0. É que com esses resultados

Por | Edição do dia 03/03/2006 - Matéria atualizada em 03/03/2006 às 00h00

| FERNANDA MEDEIROS Repórter O sinal vermelho acendeu para o ASA, ontem, depois do empate do Alvinegro arapiraquense com o Corinthians, por 1x1, e a vitória do então lanterna da competição, Ipanema, sobre o Bom Jesus, por 2x0. É que com esses resultados, o atual campeão alagoano agora é o lanterna da competição e está na zona de rebaixamento para a 2ª Divisão. Isso mesmo. O ASA soma nove pontos na tabela, mesmo número de pontuação do Ipanema, que fica à frente do time alvinegro no critério de maior quantidade de vitórias. O clube do Alto Sertão tem duas vitórias, e o Alvinegro tem apenas uma, esta obtida justamente sobre o próprio Ipanema, por 3x0, na sexta rodada. O jogo de ontem, realizado no Estádio Nelson Feijó, foi equilibrado e com boa movimentação por parte das duas equipes. Ambas tiveram boas chances de abrir o marcador, mas o Corinthians não conseguia finalizar e pecava muito na marcação no meio-campo. Bom para o ASA, que abriu o placar aos 35 minutos da etapa inicial, por meio do atacante Cascata. Ele subiu mais que toda a zaga tricolor e cabeceou para o gol: 1x0 para o Alvinegro. E esse foi o placar do primeiro tempo. Na segunda etapa, o ASA ainda perdeu muitas chances, mas o gol veio mesmo para os donos da casa. Foi um gol chorado, assinalado aos 27 minutos, por meio de Diego, depois de um bate-rebate dentro da área. E tudo ficou igual no Nelson Feijó: 1x1. Quando os jogadores do Tricolor ainda comemoravam o gol de empate, o ASA marcou o segundo, mas o árbitro Sivaldo Silva anulou, alegando impedimento. Os jogadores alvinegros se desesperaram em campo, principalmente depois de saberem do resultado entre Bom Jesus e Ipanema. Já o Corinthians não soube aproveitar o desespero do adversário. E o jogo não passou do empate. Agora, o Tricolor soma 17 pontos na tabela. Reclamação Para piorar a situação do ASA, o zagueiro Márcio foi expulso, no final da partida. Revoltado com a expulsão do companheiro e a anulação do segundo gol alvinegro, o lateral Italo, do ASA, disparou: “Trabalhamos para sair dessa situação, fazemos um gol legítimo, e o juiz vem e anula. A gente é roubado dentro e fora de casa. Assim não dá”, criticou. ### Hulk arrasa Murici ainda na 1ª etapa O quase sempre arrasador Coruripe só precisou do primeiro tempo ontem, no Estádio José Gomes da Costa, em Murici, contra o até então vice-líder Murici, para demonstrar sua força mais uma vez neste campeonato. O Alviverde aplicou 3x0 na primeira etapa com o infernal trio Luciano Rosa, Calmon e Edson Di e ainda se deu ao luxo de desperdiçar um pênalti, no finalzinho do segundo tempo. Luciano Rosa abriu o placar aos 12 minutos do 1º tempo, após bela trama entre Edson Di e Calmon. Depois foi a vez de Calmon completar para os fundos das redes aos 18 minutos, após um cruzamento de Edson Di. E o invocado Edson Di deu cifras definitivas ao placar do jogo aos 32 minutos, ao chutar duas vezes até marcar o terceiro gol do Hulk. Na primeira, ele chutou e a bola bateu no poste. Na volta, o próprio Edson Di guardou para fazer o terceiro, ainda no 1º tempo. Classificação Na segunda etapa, o Coruripe se acomodou, e o Murici não teve poder de reação para tirar a grande diferença. Mas mesmo sem querer se arriscar muito ao ataque, o Coruripe ainda perdeu um pênalti, por intermédio de Jânio, que chutou a bola na trave. Já o atacante do Murici, Mimi, terminou sendo expulso de campo, após receber o segundo amarelo por falta violenta. Dessa forma, com 31 pontos, para garantir a sua classificação antecipada, o Hulk precisa apenas vencer o próximo jogo contra o ASA, em Coruripe, e torcer por um tropeço dos adversários diretos pela classificação, entre eles, Murici, CSA, Penedense e CRB. Fator negativo Como fato negativo mais uma vez neste campeonato, a partida entre os dois alviverdes só foi iniciada após 15 minutos do tempo previsto pela tabela, que era 15h15. O primeiro imbróglio para o atraso e o desrespeito ao público presente foi a demora na entrada do Murici. Depois de entrar em campo com o devido atraso, o time do experiente atacante Mimi foi obrigado a retornar ao vestiário para trocar o uniforme, que era semelhante ao do adversário Coruripe. Nesse ínterim, mas tempo e reclamações por parte da diretoria do Murici que não aceitou a imposição do árbitro responsável pelo jogo. Mas depois de muita conversa, o time aceitou trocar a roupa. WS ### Ipanema surpreende e larga a lanterna Um resultado que poucos esperavam, mas que ocorreu, sacudiu e mexeu com as últimas posições na tabela do Campeonato Alagoano. Tudo porque o até então lanterninha da competição, Ipanema, foi a Matriz do Camaragibe, no Estádio Edvanil Navarro, desbancou o Bom Jesus por 2x0 e passou o infeliz bastão para o campeão alagoano ASA. Assim, o Ipanema passou a somar nove pontos, indo à nona colocação. Já o Bom Jesus estaciona nos dez pontos e fica perigosamente a um ponto, tanto do Ipanema, como do novo lanterna ASA. Indignação em Matriz Os gols da reanimação do Ipanema foram assinalados por Adilson Paulista, ambos de pênalti. O primeiro ocorreu aos 46 minutos do 1º tempo, e o segundo foi marcado aos 14 da segunda etapa. Após a partida, porém, o presidente do Bom Jesus, Edvaldo Lins da Silva, o Panga, entrou em contato com a Gazeta e denunciou que o árbitro Silvio Aciolly e o assistente Edésio Fernandes foram “premeditados a prejudicar o Bom Jesus”. “O Silvio Aciolly é filho, inclusive, de um funcionário do Ipanema, e o Edésio anulou um gol lícito do nosso time, sem acompanhar a jogada, porque ele estava com um copo de água na mão na hora do lance”, acusou Panga. E mais: “O nosso meia Télio foi expulso injustamente, fato que desarticulou o time”, completou. “Foi uma vergonha o que nós e a torcida presenciamos”. A Gazeta tentou localizar Sérgio Alencar, diretor de futebol do Ipanema, para responder as acusações, mas não conseguiu. Panga só livrou a assistente Ticiana Falcão, atribuindo-lhe bom comportamento no jogo. Os pênaltis, segundo ele, apesar de tudo, foram legais. |WS

Mais matérias
desta edição