app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5735
Esportes

Classifica��o x desespero no cl�ssico Coruripe e ASA

WELLINGTON SANTOS FERNANDA MEDEIROS Repórteres Um jogo de situações antagônicas - além da inauguração dos refletores do Estádio Gerson Amaral - será o principal tempero para o clássico de hoje, entre Coruripe e ASA, às 17h, em Coruripe. De um l

Por | Edição do dia 05/03/2006 - Matéria atualizada em 05/03/2006 às 00h00

WELLINGTON SANTOS FERNANDA MEDEIROS Repórteres Um jogo de situações antagônicas - além da inauguração dos refletores do Estádio Gerson Amaral - será o principal tempero para o clássico de hoje, entre Coruripe e ASA, às 17h, em Coruripe. De um lado, a melhor equipe do campeonato absoluta, com 31 pontos, que, para garantir sua classificação de forma antecipada, precisa apenas de uma vitória simples. Para isso ocorrer matematicamente, o “Incrível Hulk” torce também para que Penedense ou Murici percam ou empatem. Do outro, o tradicional e nada mais nada menos que o campeão alagoano e papão de títulos dos anos 2000, o ASA, mas que, melancolicamente, segura o bastão da infelicidade: a lanterna. O Alvinegro é o último colocado, com apenas nove pontos ganhos. Já existem até comparações, a título de gozações, por parte de alguns torcedores mais empolgados do “Hulk”, de que o clássico de hoje seria o encontro entre Davi e Golias, remetendo aos personagens bíblicos. Mas a pitada de gozação, de fato, lembra a diferença das duas campanhas entre um time e o outro no Alagoano. O Coruripe tem nada menos que 22 pontos de vantagem sobre o Alvinegro. Mauro César O Coruripe tem apenas uma novidade para o clássico. Trata-se da volta do maestro do meio-campo alviverde Mauro César, que ficou de fora do último compromisso do time contra o Murici. Dessa forma, Jânio volta para o banco de reservas. Sair da lanterna No ASA, a revolta continua por causa do tão comentado gol anulado de Denilson, contra o Corinthians, na quinta-feira, no empate por 1x1, que na opinião dos alvinegros foi legal. “Mas mesmo passando por esse tipo de situação vergonhosa, com as arbitragens querendo nos prejudicar, impedindo de conquistarmos as vitórias, vamos entrar em campo para vencer o Coruripe na casa dele”, avisa o técnico do ASA, Coca. “Sabemos que será um jogo difícil, pois o Coruripe é o líder da competição, mas temos de vencer e tentar sair da lanterna”, emendou. Até a sexta-feira, o treinador do Alvinegro estava aguardando a regularização dos jogadores Zezinho (atacante), Rodnei (zagueiro) e Júnior Sertânia (lateral), reforços contratados recentemente, para poder definir a escalação da equipe. Coca estreou no comando do ASA contra o Penedense, em Penedo, no dia 14 de fevereiro. Derrota por 3 a 1. Em quatro partidas pelo Alagoano, o técnico perdeu duas e empatou outras duas. Coruripe - Charles; Vovô, Rodrigo Antoneli, Cleber Carioca e Pará; Babau, Mateus, Mauro César e Luciano Rosa; Calmon e Edson Di. ASA - Pablo; Gilmar, Santiago, Brito e Ítalo; Charles, Marcos Mendes, Neto e Lamar; Cascata e Denilson. ### Time viaja amanhã para o Rio de Janeiro | FERNANDA MEDEIROS Repórter A delegação do ASA segue amanhã, às 17h50, para o Rio de Janeiro, onde vai enfrentar o Flamengo, quarta-feira, no Maracanã, na partida de volta pela Copa do Brasil. Em Arapiraca, o resultado do primeiro confronto foi 1x1. Com esse placar, caso haja um empate por 0x0, no jogo do Rio, o Flamengo se classificará. Se for 1x1, a decisão vai para os pênaltis. O ASA só se classifica à próxima fase da competição se vencer ou se empatar pelo placar de dois ou mais gols. “Não vamos ao Rio passear nem conhecer o Maracanã. Vamos para lá em busca da classificação”, declarou o técnico Coca, acrescentando que comentários do tipo “o ASA é o pior time do Brasil”, como foi veiculado em sites da Internet, não incomodam os atletas. “Quem tem boca fala o que quer, mas é bom lembrar que futebol se ganha dentro de campo”, lembrou. Expectativa Segundo o diretor de Marketing do ASA, Ricardo Almeida, a expectativa para esse confronto na Cidade Maravilhosa é grande. “Jogar com o Flamengo e no Maracanã gera uma motivação muito grande. Mesmo com a má fase do ASA, o jogo contra o Flamengo é numa outra competição e vamos buscar a nossa classificação”, disse. Almeida diz que as críticas e gozações feitas ao ASA são boas. “Isso motiva. Se eles [cariocas] fazem provocações é porque estão se sentindo incomodados. É porque estão preocupados conosco. Eles estão querendo ganhar com a camisa, mas futebol se ganha com a bola”, avisou.

Mais matérias
desta edição