app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5735
Esportes

CSA x CRB: um sobrar� na decis�o hoje

| WELLINGTON SANTOS Repórter O Dia D chegou. É hoje e de hoje não passa. Um há de eliminar o outro. É com esse sentimento de decisão que CSA e CRB duelam, às 20h30, no Rei Pelé, pelo 4º jogo este ano entre os dois. Nos três anteriores, hegemonia do Galo

Por | Edição do dia 29/03/2006 - Matéria atualizada em 29/03/2006 às 00h00

| WELLINGTON SANTOS Repórter O Dia D chegou. É hoje e de hoje não passa. Um há de eliminar o outro. É com esse sentimento de decisão que CSA e CRB duelam, às 20h30, no Rei Pelé, pelo 4º jogo este ano entre os dois. Nos três anteriores, hegemonia do Galo: dois empates 0x0 e 1x1 e uma vitória por 2x0, com gols de Benhur e Saulo. Mas vantagem nos confrontos à parte, a verdade é que o CSA joga com o regulamento debaixo do braço e poderá até empatar e, mesmo assim, elimina o Galo do Campeonato Alagoano 2006. Ao CRB será uma espécie de decisão, porque se não vencer, pelo fato de não participar do 2º turno do Estadual em função do Brasileiro da Série B, dá adeus definitivo à competição. Já o CSA, se perder, restará ainda o 2º turno. jejum O quarto duelo entre os dois times será uma oportunidade ainda para o Centro Sportivo Alagoano quebrar um jejum de mais de três anos sem vencer seu rival. A última vitória, 1x0, foi em 9 de fevereiro de 2003, pelo Alagoano. ### Juninho Cearense estréia no Galo; Gustavo Feijó retorna Uma surpresa atrás da outra ontem no alvirrubro praiano, para sacudir o plantel e evitar a eliminação precoce no Campeonato Alagoano deste ano contra o grande rival, hoje. O meia-atacante Juninho Cearense se apresentou ontem, treinou e já foi relacionado para atuar diante do CSA. O meia volta ao Galo depois de uma saída tumultuada há mais de três meses para jogar no Ceará, com contrato em vigor com o alvirrubro, e antes mesmo de o CRB estrear no Campeonato Alagoano, em janeiro. Com a volta de Juninho, quem sobrou, pelo menos no treino coletivo de ontem na Pajuçara, foi o meia Adriano Gerlim. Eduardo e Feijó na paz A outra surpresa ficou por conta dos bastidores num restaurante da cidade. Enquanto Juninho se apresentava na Pajuçara, o vice-financeiro do CRB, Eduardo Rocha, que pertence ao grupo de Celso Luiz na atual diretoria e é o nome mais forte para assumir a presidência, se reconciliava com o ex-diretor de Futebol alvirrubro Gustavo Feijó. Essa seria uma cena impossível de se imaginar uma semana atrás, quando o presidente-executivo do Galo, Celso Luiz, após o jogo contra o Cruzeiro, pela Copa do Brasil, detonou o ex-diretor de Futebol regatiano, ao afirmar que ele estava fora e não queria mais a colaboração de Gustavo no alvirrubro. “O CRB sempre mostra sua união nos momentos mais difíceis. E o Gustavo vai continuar a colaborar com a gente”, decretou Eduardo Rocha. “A maior prova da superação daquele problema é o Juninho de volta ao CRB”, completou Gustavo Feijó. O empresário é o procurador do meia-atacante. | WS ### Zagueiro Alisson e Mossoró são as atrações no Azulão No CSA, com as ausências do zagueiro e líder do time Picolli (3º cartão) e do volante Jean (contundido), entram Alisson e Marquinhos Mossoró, respectivamente. O zagueiro Alisson tem um motivo especial para retornar ao time titular do Azulão. Sua saída se deu por condições táticas da equipe por opção do treinador Agnaldo Liz. Mas enquanto jogou na condição de titular, o zagueiro sempre demonstrou muito vigor físico e tranqüilidade a frente da zaga azulina. Já o volante Marquinhos Mossoró, que substituiu ao titular Jean ainda no primeiro tempo do clássico de domingo, fez sua melhor partida pelo CSA domingo passado diante do CRB, e espera repetir a dose hoje. Mossoró passou por um período longo para se recuperar de uma lesão e alternou partidas regulares e desempenho baixo neste 1º turno. Discurso é de vitória Mesmo com o empate como aliado, o discurso da marujada nas entrevistas é de vitória, até para dar uma satisfação à torcida, ainda frustrada por não vencer o principal rival em nenhum dos clássicos realizados este ano. Em três confrontos com o Galo, o CSA alternou entre falta de sorte com bolas na trave, uma barreira chamada Pantera, goleiro do CRB, e às vezes falta de pontaria dos atacantes. O maior deles foi o primeiro clássico no dia 5 de fevereiro, quando os marujos tiveram tudo para vencer bem e não fizeram gol. Pelo menos incentivo nos bastidores e no treinamento tático não faltou ontem, no Mutange. À tarde, era grande o número de torcedores que, ansiosos e esperançosos, foram prestigiar os jogadores. |WS

Mais matérias
desta edição