app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5710
Esportes

Scolari vai exigir mais marca��o dos atacantes

Kuala Lunpur - Inspirado em algumas seleções européias e ciente da fragilidade do sistema defensivo da Seleção Brasileira, o técnico Luiz Felipe Scolari vai exigir mais marcação dos atacantes Ronaldo e Rivaldo. O volante Emerson, capitão da equipe, conc

Por | Edição do dia 22/05/2002 - Matéria atualizada em 22/05/2002 às 00h00

Kuala Lunpur - Inspirado em algumas seleções européias e ciente da fragilidade do sistema defensivo da Seleção Brasileira, o técnico Luiz Felipe Scolari vai exigir mais marcação dos atacantes Ronaldo e Rivaldo. O volante Emerson, capitão da equipe, concordou. “Hoje em dia, atacantes têm de marcar os defensores adversários, senão o meio-de-campo acaba recuando e qualquer erro no setor resulta em gol adversário”, justificou o treinador da Seleção Brasileira. Na partida amistosa do próximo sábado contra a Malásia, o time já deverá se portar de forma diferente. Para Êmerson, o exemplo do meia francês Zinedine Zidane tem de ser copiado pelos jogadores de ataque do Brasil. “Na decisão da Liga dos Campeões, nós vimos o Zidane correndo e cometendo faltas, ele é um jogador que faz parte do sistema de marcação de sua equipe e isso nunca o impediu de jogar para frente”, explicou o volante brasileiro. Mostrando bastante identificação com o sentimento do povo brasileiro, Êmerson concordou ontem que a Seleção tem problemas defensivos. “Temos muita técnica e vários jogadores com capacidade de virar um jogo, mas ainda somos carentes na marcação”, disse o capitão do Brasil. “Vamos olhar as outras seleções, como por exemplo a França, e tentar copiar o que é correto”, completou. Malásia Scolari afirmou que não está preocupado com a fragilidade da Malásia, adversária do Brasil neste sábado, no último amistoso antes da estréia na Copa do Mundo. Para o treinador, a partida servirá para fazer as últimas observações já pensando no jogo do dia 3 de junho, contra a Turquia. Segundo o técnico, será a chance de verificar os pontos em que o time avançou e também aqueles que ainda precisam ser corrigidos. Scolari aproveitou também para defender a passagem na Malásia antes de seguir para a Coréia. Ele rebateu as críticas de que mais essa “escala” desgastaria a equipe desnecessariamente. Para o treinador, adiar a chegada ao local da Copa pode servir para evitar um pouco o nervosismo em relação à estréia.

Mais matérias
desta edição