app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5735
Esportes

Assistente ser� denunciado ao TJD/AL

| WELLINGTON SANTOS FERNANDA MEDEIROS Repórteres O julgamento do processo das agressões sofridas pelo árbitro Charles Hebert, por parte do jogador Cristiano e do gerente de Futebol do CRB, Mauro Ramos, condenados na quinta-feira pela 1ª Comissão Disci

Por | Edição do dia 22/04/2006 - Matéria atualizada em 22/04/2006 às 00h00

| WELLINGTON SANTOS FERNANDA MEDEIROS Repórteres O julgamento do processo das agressões sofridas pelo árbitro Charles Hebert, por parte do jogador Cristiano e do gerente de Futebol do CRB, Mauro Ramos, condenados na quinta-feira pela 1ª Comissão Disciplinar do Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-AL), trouxe um fato novo ao imbróglio jurídico e poderia até ser denominado de “o feitiço que virou contra o feiticeiro”. Isso porque, baseado nas imagens dos DVDs levados pela arbitragem, como prova das agressões dos atletas, o presidente da 1ª Comissão Disciplinar, Dartagnan Fireman, pediu que a Procuradoria ofereça denúncia contra o árbitro assistente Antônio Lacerda. Ele trabalhou como 1º assistente de Hebert, no clássico CSA 2x2 CRB do dia 29 de março. Nas imagens, ficou constatado que Antônio Lacerda agrediu com uma bandeirada o atacante Cristiano (CRB), além de, segundo as denúncias, ter agredido com um murro o ala alvirrubro Aldivan, absolvido no processo. O árbitro assistente deverá ser comunicado, nos próximos dias, pela Procuradoria do TJD-AL, sobre a denúncia, com base nas imagens em DVD, exibidas no julgamento, que contou com a presença de vários árbitros. Eles foram à sede do tribunal, munidos de duas faixas com as frases: “Futebol é alegria. Violência é covardia!” e “Toda conduta violenta deve ser punida exemplarmente!”. Mas saíram de lá indignados. “A absolvição do Saulo e do Aldivan foi justa porque eles estavam inclusos no artigo errado. Se estivessem no certo, não teriam sido absolvidos Quanto ao Cristiano, deveria ter pego uma pena maior”, disse o presidente do Sindicato dos Árbitros, Flávio Feijó. ///

Mais matérias
desta edição