app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5647
Esportes Dorival concedeu entrevista coletiva como técnico da Seleção Brasileira

Seleção: Dorival diz que equipe tem de se virar sem Neymar

Treinador deixou o São Paulo para assumir o lugar de Fernando Diniz no comando da Canarinha

Por Uol | Edição do dia 12/01/2024 - Matéria atualizada em 12/01/2024 às 04h00

Começou a Era Dorival Júnior na Seleção Brasileira. A CBF apresentou o ex-São Paulo como novo treinador do Brasil nessa quinta (11). Ele assinou contrato até dezembro de 2026 e comandará a equipe no ciclo até a próxima Copa do Mundo. A estreia será na segunda quinzena de março, nos amistosos contra Inglaterra e Espanha.

“Hoje estou aqui representando a seleção mais vencedora do planeta, a que inspira muitos no mundo inteiro. E tem obrigação de voltar a vencer. O futebol brasileiro é muito forte, se reinventa. Não pode passar pelo momento que está passando. Que sirva de lição para que possamos encontrar um novo caminho”, disse.

O Brasil volta a campo pelas Eliminatórias no início de setembro, contra o Equador, em casa, e visita o Paraguai em seguida. A Seleção é a sexta colocada, com sete pontos, oito a menos que a líder Argentina. Antes, a equipe brasileira tem a Copa América para disputar, entre junho e julho, nos Estados Unidos.

“Precisamos entregar uma seleção confiável, que passe credibilidade a todos nós. E, num segundo momento, tão importante quanto, convoco todos os profissionais que fazem parte do futebol, que estejam envolvidos com futebol. O futebol precisa de cada um de vocês”, disse Dorival.

Ele relembrou sua trajetória e se disse emocionado com a oportunidade aos 61 anos de idade. Após passar por um câncer, ele treinou Ceará, Flamengo e São Paulo. Nas duas últimas temporadas, conquistou três títulos: duas Copas do Brasil e uma Libertadores.

“É uma satisfação, estou sinceramente emocionado, depois de tudo que eu vivi, de tudo que eu passei. E principalmente nos últimos seis, sete anos, conseguindo vencer dois momentos de muitas dificuldades dentro da minha casa, do meu lar. A minha esposa com um câncer muito agressivo, logo em seguida eu também fui diagnosticado. Isso me fortaleceu ainda mais e pude repensar pontos da minha carreira”.

Dorival ainda falou sobre seu suposto problema com Neymar, desde a época do Santos.

“O Brasil tem que aprender a jogar sem o Neymar. Porque agora ele tem uma lesão. Mas nós temos um dos três maiores jogadores do mundo, e depois vamos contar com ele. Não tenho problema nenhum com o Ney. A proporção que aquela situação tomou foi desproporcional. Após aquela partida nós já estávamos conversando. A diretoria do Santos tomou uma decisão e eu respeitei. Mas sempre que nos encontramos foi uma situação positiva. O futebol é muito dinâmico. O céu e o inferno estão a um palmo de distância”, garantiu o treinador da equipe brasileira.

Mais matérias
desta edição