app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Esportes Pela programação, esta quarta-feira (7) é o último dia do julgamento e Daniel Alves será o último a prestar depoimento

Caso Daniel Alves: amigo diz que jogador bebeu muito em boate

Consumo de álcool por parte do lateral foi tema principal do segundo dia do julgamento em Barcelona

Por GE | Edição do dia 07/02/2024 - Matéria atualizada em 07/02/2024 às 04h00

O consumo de álcool por parte de Daniel Alves foi tema principal do segundo dia do julgamento em Barcelona – o jogador é acusado de agressão sexual contra uma mulher, em caso ocorrido em dezembro de 2022. Nessa terça (6), amigos do atleta afirmaram que Dani Alves bebeu muito ao longo do dia e da noite em que teria cometido o crime, em uma boate da cidade catalã. E a esposa dele, Joana Sanz, contou que chegou em casa bêbado.

“Ele foi comer com seus amigos no restaurante. Passou o dia aí e voltou era quase 4 da manhã. Voltou muito bêbado, fedendo a álcool. Bateu no armário e caiu na cama”, relatou Joana Sanz.

De acordo com os depoimentos dos amigos de Daniel Alves, o grupo se reuniu desde o meio da tarde no restaurante Taberna del Clínic. No início da madrugada, foram ao bar Nuba e só depois tomaram o caminho da boate Sutton. De acordo com Bruno Brasil, amigo que estava com Dani Alves na discoteca, o jogador “foi o que mais bebeu”.

“Exatamente não lembro, mas foi bastante porque ficamos desde 14h30 até 1 da manhã, então bebemos muito. Eu diria que pedimos umas cinco garrafas de vinho, uma de uísque. Thiago não bebe, Bruno bebe pouco, então eu e Daniel bebemos muito. Pedimos quatro drinks de gin tônica. Ele tinha bebido bastante”, contou Ulises, um dos amigos do lateral.

Fora pessoas relacionadas a Daniel Alves, outro depoimento indicou um comportamento diferente do jogador. O gerente da boate afirmou que o atleta “ou tinha bebido, ou tomado algo, mas não estava normal”. Na segunda-feira, garçons do estabelecimento descartaram algo de errado com o atleta naquela noite.

Conforme a imprensa espanhola, alegar embriaguez faz parte da estratégia da equipe de defesa de Daniel Alves para tentar um atenuante de pena, em caso de condenação. Assim como no primeiro dia, o jogador, que está em prisão preventiva há mais de um ano, acompanhou presencialmente a audiência no Tribunal de Barcelona. Presidida pela juíza Isabel Delgado Pérez, a 21ª seção da Audiência de Barcelona ouviria 22 pessoas nessa terça, mas duas foram dispensadas.

Diante dos juízes, Bruno Brasil afirmou que o grupo de amigos deixou a boate “sem motivo especial”. No entanto, a promotoria rebateu, alegando que, em depoimento anterior, ele havia dito que o jogador tinha ido ao banheiro, onde teria acontecido o crime, porque estava mal da barriga e por isso foram embora. Bruno, que depôs em português, respondeu que teve que falar em espanhol na ocasião e que não ficou muito claro. Ele garantiu que o lateral não falou porque tinha ido ao banheiro.

Pela programação, esta quarta-feira (7) é o último dia do julgamento. Devido ao pedido aceito durante a fase de questões técnicas, Daniel Alves será o último a prestar depoimento.

Mais matérias
desta edição