app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Fatos & Notícias

Confira os destaques da política alagoana #FN15092020

.

Por FATOS & NOTÍCIAS | Edição do dia 15/09/2020 - Matéria atualizada em 14/09/2020 às 23h04

O Sindicato dos Urbanitários voltou a questionar o governo do Estado sobre a privatização da Casal e que, por tabela, também entre no jogo os municípios de Atalaia, Barra de Santo Antônio, Barra de São Miguel, Coqueiro Seco, Maceió, Paripueira, Pilar, Rio Largo, Santa Luzia do Norte, Satuba e São Miguel dos Campos.

Na avaliação do sindicato, todos perdem com a privatização e nenhum lucro acrescenta aos cofres do próprio Estado.

O reflexo, para o órgão representante dos trabalhadores, é a demissão e nenhuma garantia para quem ainda vai permanecer na companhia.


OMISSÃO

A discussão que seria o melhor caminho para debater a privatização não existe, e o governo não explica por que uma empresa que dá lucro como aconteceu em seus 58 anos de história vai ser entregue a empresários estranhos aos alagoanos. No balanço do ano passado, a Casal deu um lucro de R$ 65,8 milhões, comprovando que a empresa tem plenas condições de se recuperar econômico-financeira, garantindo a capacidade de fazer investimentos com recursos próprios.


NEGÓCIO DA CHINA

Com essa operação, denuncia o sindicato, a empresa que ganhar o leilão vai explorar o setor por 35 anos, utilizando toda a estrutura existente, repassando apenas R$ 15 milhões para o governo do Estado. Em consequência, a Casal, os serviços de água e os municípios não receberão um centavo sequer.


A QUEM INTERESSA?

Com todos esses problemas pontuados pelo Sindicato dos Urbanitários, fica a pergunta: a quem interessa realmente essa privatização? Nos demonstrativos apresentados, Maceió teve um lucro e R$ 52 milhões no ano passado e quem bancará os prejuízos dos municípios com a privatização?


NEGÓCIO DUVIDOSO

A projeção feita pelo edital de privatização que está sendo tocada pela secretaria sob o comando de Maurício Quintella é de que a empresa ganhadora da licitação se compromete a investir R$ 2,4 bilhões em 35 anos. Mas, nesse período, o faturamento previsto é de R$ 23,9 milhões. Ou seja, tem alguma coisa aí mal explicada pelo governo.


LUTO

O médico Fernando Antonio Gameleira Soares morreu nesse domingo (13), vítima de câncer. Ele era um dos reumatologistas mais requisitados de Alagoas e primo do neurologista Fernando Tenório Gameleira. Pelas redes sociais, amigos e membros da sociedade civil organizada lamentaram o falecimento, destacando a trajetória do profissional na Medicina, que atuava nesta especialização desde 1974.


VACINAÇÃO

O Ministério da Saúde (MS) ampliou o prazo da campanha de vacinação do sarampo para até o próximo dia 31 de outubro. Maceió tem registrado baixa procura pela vacina por jovens e adultos, atual público alvo da campanha, que já está em sua quarta etapa. O assunto foi tema de entrevista do TCNews, que conversou com a enfermeira da Gerência de Imunização da Secretaria de Saúde de Maceió, Camila Peixoto.


VACINAÇÃO

A procura de apenas 25% de jovens e adultos de 20 a 49 pela vacina do sarampo, em Maceió, tem preocupado as autoridades de saúde, já que a doença voltou a surgir no Brasil em 2018, após mais de 20 anos sem casos registrados e se classifica como uma doença infecciosa aguda grave, que pode levar a óbito ou deixar graves sequelas.. Para a Secretaria Municpal de Saúde, a baixa procura se deve ao temor da população pela contaminação do novo coronavírus em unidades de saúde.


» Segundo a última informação do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) sobre a situação da epidemia de coronavírus no Brasil, o país tem, até o momento, 132.006 óbitos e 4.345.610 casos confirmados de Covid-19.

» O governo federal reconheceu ontem, no Diário Oficial da União, situação de emergência no estado do Mato Grosso do Sul devido aos incêndios que destroem o Pantanal, indicando que enviará apoio para o "desastre natural".

» O Pantanal, considerado a zona mais úmida do planeta, atravessa agora uma situação preocupante, ao enfrentar os piores incêndios das últimas décadas na região. A situação vem chamando a atenção do mundo inteiro.

Mais matérias
desta edição