app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Fatos & Notícias

Confira os destaques da política alagoana #FN16022021

.

Por FATOS & NOTÍCIAS | Edição do dia 16/02/2021 - Matéria atualizada em 15/02/2021 às 21h25

A suspeita de aposentadorias com cargos forjados de alguns servidores da Câmara de Vereadores de Maceió e que foi barrada pelo Instituto de Previdência do Município é alvo de investigação do Ministério Público Estadual que acredita existirem novos casos que ainda não foram revelados.

A prática, considerada fraudulenta para que determinados servidores se aposentassem com cargos superiores aos exercidos, incorre em improbidade e cada um, além de perder suas vantagens, pode ser processado criminalmente.

Pessoas com sobrenomes bastante conhecidos na sociedade alagoana e que tiveram suas aposentadorias indeferidas no mês de dezembro, podem ser ouvidas pelo Ministério Público, que quer saber quais os procedimentos para que os servidores pedissem o benefício com cargos diferentes aos que exerciam.


ILÍCITA

A situação, considerada como absurdamente ilícita, está sendo investigada pelo promotor Marcus Rômulo, que quer saber da existência de outros casos os quais, mesmo já aposentados, podem perder a progressão administrativa dentro da instituição.


GENEROSA

O que chama mais a atenção depois da tentativa de um golpe administrativo barrado pelo Ministério Público é a remuneração de alguns cargos, a exemplo de procurador da Câmara, que chega a atingir um salário de R$ 32.462,11. Um verdadeiro escândalo, confidenciam alguns servidores da instituição que se veem prejudicados por essas iniciativas.


ARRASTÃO

A investigação sobre essas irregularidades remonta aos anos de 1990 e pode atingir dezenas de servidores que se locupletaram das irregularidades. Para eles, a possibilidade da perda do cargo, consequentemente da remuneração, ainda pode render um baita processo criminal.


ISENÇÃO

A Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros de Alagoas (ACS/AL) emitiu nota para cobrar que a investigação que apura a morte do policial civil Jorge Vicente Ferreira Júnior, ocorrida em janeiro deste ano, em que policiais militares são suspeitos de praticar o crime, seja isenta e imparcial. Os seis PMs foram presos na quinta-feira (11). A entidade pretende realizar uma manifestação pacífica em repúdio à prisão temporária dos militares.


REPÚDIO

A ACS repudiou, ainda, as declarações do presidente do Sindicato da Polícia Civil de Alagoas (Sindpo), Ricardo Nazário, sobre a morte do policial. Na manhã de hoje, o presidente em exercício da associação, Cabo Willian Cardoso, reforçou detalhes sobre o ocorrido.


ACIDENTES

Apesar de o Carnaval de 2021 acontecer em meio à pandemia do novo coronavírus, as rodovias alagoanas continuaram registrando movimento intenso durante o fim de semana da festa. Segundo informações do Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv) de Alagoas, o número de acidentes aumentou em comparação ao mesmo período do ano passado.


DOIS PESOS...

A diferença na forma como a Polícia Militar de Alagoas encerrou festas com aglomerações no Estado durante esse fim de semana gerou um intenso debate nas redes sociais. Com casos registrados tanto em áreas nobres como na periferia, os internautas questionaram os métodos usados. Nas festas em Marechal Deodoro e Barra de São Miguel, tudo feito de forma pacífica. Já numa festa de aniversário no bairro do Clima, houve até o emprego de balas de borracha para dispersar as pessoas.


» A Prefeitura de Maceió informou, ontem, que já vacinou 93% dos idosos acamados que têm 83 anos ou mais e que se cadastraram.

» Até sexta-feira (12), 1.183 dos 1275 usuários dessa faixa etária que não podem se deslocar a um ponto de vacinação já receberam uma equipe da Secretaria Municipal de Saúde .

» Balanço da vacinação contra a Covid-19 de divulgado ontem à noite aponta que 5.285.981 de pessoas já receberam a primeira dose de vacina contra a Covid-19. O número representa 2,50% da população brasileira.

» A segunda dose já foi aplicada em 256.813 pessoas (0,12% da população do País) em diversos estados, inclusive Alagoas.

Mais matérias
desta edição