app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Fatos & Notícias

Confira os destaques da política alagoana #FN26032021

.

Por FATOS & NOTÍCIAS | Edição do dia 26/03/2021 - Matéria atualizada em 25/03/2021 às 22h01

Furar fila da vacinação, em detrimento de milhares de pessoas que enfrentam as adversidades do tempo para se imunizarem, é um crime e, como tal, deve ser tratado pelas autoridades. Denúncias que circularam ontem nas redes sociais davam conta de que, supostamente, agentes públicos receberam a primeira dose da vacina mesmo sem estarem no grupo prioritário e nem tampouco fazerem parte do quadro de profissionais de saúde.

Num momento extremamente delicado, em que a pandemia alastra seus tentáculos, fazendo novas e fatais vítimas todos os dias, furar uma fila de vacinação é, no mínimo, uma irresponsabilidade sem tamanho. Que a polícia, o Ministério Público e a própria prefeitura ajam rápido e punam exemplarmente quem cometeu esse grave deslize.


Susto

O ministro-chefe da Casa Civil, Walter Souza Braga Netto, foi hospitalizado com urgência na última quarta-feira na Santa Casa de Misericórdia de Maceió após sofrer um mal súbito quando se encontrava no Litoral Norte do Estado. Ele foi transportado de helicóptero para a unidade de saúde, foi medicado e recebeu alta na manhã de ontem, quando retornou à Brasília.


Pico da Covid

Os médicos infectologistas projetam para este final de semana o seu pico máximo da pandemia em Alagoas, o que irá refletir diretamente na contaminação de grande parte da população e nas dificuldades de se conseguir leitos hospitalares. Embora a situação seja grave, a população não tem colaborado como devia para amenizar os efeitos do avanço do coronavírus.


Endurecendo

Se depender de recomendação da Fundação Oswaldo Cruz, Alagoas entraria, com mais 23 estados, numa restrição ainda maior e necessitando da aplicação de medidas mais rígidas para evitar o pior. Todos esses estados, segundo o boletim da Fundação, se encontram em zona de alerta vermelho, ou muito crítica.


Não essenciais

As atividades não essenciais, de acordo com as avaliações, seriam suspensas por 14 dias, para tentar barrar o avanço da pandemia da Covid-19, que chega ao seu momento mais crítico, aumentando as infecções e o número de óbitos.


Sem ajudar

Enquanto as autoridades de saúde recomendam muita prudência para evitar mais contaminações, as feiras livres e ônibus da capital fazem exatamente o contrário. A fiscalização exercida nesses dois importantes setores, por exemplo, não é suficiente o bastante para o distanciamento social, o que compromete toda a área de saúde que já se encontra literalmente na UTI.


Multa em Maragogi

Na cidade de Maragogi, decreto municipal prevê multa para quem descumprir medidas de combate à Covid. Valores vão de R$ 500 para pessoas físicas a R$ 1,5 mil para pessoas jurídicas, podendo dobrar em caso de reincidência. Mas, de acordo com a assessoria da prefeitura, até o momento, ninguém foi pego descumprindo as medidas.


Multa em Maragogi 2

O decreto nº0 14 /2021, do dia 24 de março, reiterou as medidas de isolamento a serem seguidas pela população, tais como isolamento obrigatório domiciliar até o dia 5 de abril de 2021 a todos os casos de síndrome gripais, sem sinais de gravidade; isolamento: separação de pessoas e bens contaminados, transportes e bagagens no âmbito intermunicipal, mercadorias e outros; quarentena: restrição de atividades ou separação de pessoas suspeitas de contaminação das pessoas que não estejam doentes, ou ainda bagagens, animais e meios de transporte, no âmbito de sua competência.


Seguro negado

Uma lista com endereços começou a circular ontem em grupos de Whatsapp com uma mensagem afirmando que seguradoras estão se negando a aprovar apólices de seguro para financiamento de imóveis localizados em 11 bairros de Maceió. A decisão teria relação com os efeitos da mineração da Braskem nessas localidades.


Seguro negado 2

A Caixa Econômica Federal informou ter tomado conhecimento de possíveis negativas das seguradoras referentes aos bairros e que está agindo para esclarecer os fatos. Através de nota, disse que a situação está sendo tratada com as seguradoras e que eventuais casos serão analisados pontualmente. Segundo a instituição, seguro habitacional é uma garantia fundamental e obrigatória para o crédito imobiliário, conforme determinação do Banco Central.

Mais matérias
desta edição