app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Fatos & Notícias

Confira os destaques da política alagoana #FN20042021

.

Por FATOS & NOTÍCIAS | Edição do dia 20/04/2021 - Matéria atualizada em 19/04/2021 às 22h25

A cada ano, o aumento do número de casos de câncer, com manifestações complexas da doença, quase sempre resulta em judicializações para garantia de tratamento em unidades hospitalares, ou para a aquisição de drogas mais eficazes. O problema é que são caras para serem custeadas e algumas não constam na oferta dos planos privados e do SUS. Foi pensando nestas situações que a Assembleia Legislativa aprovou projeto da deputada Jó Pereira (MDB). A matéria havia sido vetada pelo governador Renan Filho (MDB), mas a casa reafirmou apoio para a criação do Fundo de Combate ao Câncer (FCC). A insensibilidade governamental, porém, não evitará que 5% dos recursos da receita bruta do ICMS sobre cigarros e derivados do tabaco sejam destinados para o FCC. As bebidas alcoólicas não ficaram de fora. Pela lei, 3% do imposto incidente sobre elas também irão para o tratamento, além de outros 5% da venda de agrotóxicos.


RECURSOS

Segundo Jó Pereira, antes da existência do fundo, a ALE já havia entrado na batalha para garantir recursos. Tanto que em 2019 indicaram 1% do orçamento anual, algo em torno de R$ 100 milhões, para o atendimento oncológico. Mas a sua execução por parte do governo Renan Filho nunca aconteceu. Ou seja, o dinheiro nunca chegou na ponta para quem mais precisava dele.


CÂNCER 1

Por conta da proposta e seu caráter social, a ALE - que tem maioria governista - se recusou a "fechar" com o Executivo e ficar ao lado povo. Isto porque a repercussão dos casos envolvendo pacientes em tratamento que recorrem ao Judiciário em busca de ajuda. A "tabua de salvação" quase sempre é a Defensoria Pública do Estado.


CÂNCER 2

Não foram poucas às vezes que o órgão recorreu aos tribunais para garantir o direito de pacientes internados com diagnóstico de câncer. A doença, inclusive, a cada ano é responsável pela internação de centenas de pessoas na rede pública e ainda na contratualização de leitos na rede privada. Essa realidade torna o projeto um dos mais importantes já aprovados na ALE para a área de saúde.


IGNORANDO A CIÊNCIA

Um outro detalhe é que os produtos escolhidos, todos em mais ou menos incidência, têm relação com alguns tipos de câncer, conforme indicam as pesquisas nacionais e internacionais. Mas, desta vez, o governo do Estado - que se baseia em dados da ciência para agir na pandemia - ignorou a natureza simbólica da matéria, já que a depender de como sejam os investimentos, a partir de agora, Alagoas poderá se tornar referência para o país.


UFAL

Os 2.905 alunos que foram aprovados no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) para ingressar em um dos 82 cursos de graduação da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) deverão apresentar os documentos exigidos pela instituição a partir desta terça-feira (20). O prazo vai até a próxima sexta-feira (23).


UFAL 2

No próximo dia 29, será divulgada uma pré-seleção, onde aqueles que estiverem com pendências terão uma oportunidade de regularizar a documentação para garantir a entrada na instituição. A última e conclusiva etapa deve acontecer apenas em outubro, quando deve ser retomado o período letivo.


PARALISAÇÃO

Após a paralisação de funcionários dos setores de enfermagem, administrativo e de asseio e conservação do Hospital Sanatório, em Maceió, o presidente do TRT/AL, desembargador Marcelo Vieira, determinou, na noite desta segunda-feira (19), o retorno imediato dos auxiliares e técnicos de enfermagem, sob pena de multa diária de R$ 10 mil.


» Todas as 142 escolas Municipais de Maceió poderão utilizar, a partir desta segunda-feira (19), a central de cópias, localizada na Secretaria Municipal de Educação (Semed), na Cambona, na parte baixa da capital..

» A estrutura servirá para fazer a impressão e cópia das atividades pedagógicas que são distribuídas aos alunos da Rede Municipal de Ensino durante este período de aulas remotas.

» O país registrou 1.607 mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas e totalizou nesta segunda-feira (19) 375.049 óbitos desde o início da pandemia

» Com isso, a média móvel de mortes no Brasil nos últimos 7 dias chegou a 2.860, um crescimento de 3% em relação à média anterior.

Mais matérias
desta edição