app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Fatos & Notícias

Confira os destaques da política alagoana #FN14092021

.

Por FATOS & NOTÍCIAS | Edição do dia 14/09/2021 - Matéria atualizada em 13/09/2021 às 22h48

A contratação de empresas do Sul do País pelo governo do Estado, em detrimento de empreiteiras alagoanas para a construção de Cisps, é alguma coisa de impressionante que salta aos olhos, principalmente no tocante ao sistema modular, com paredes de fibra de vidro e madeira prensada.

Assim, empresa Verdi Sistemas Construtivos Ltda., fornecedora de módulos para construção de Cips, venceu novamente o certame licitatório, cujos valores já ultrapassam os R$ 76 milhões, sem que tivesse concorrentes fortes para disputar o mercado da construção civil.

Mesmo com os preços astronômicos por metro quadrado pagos pelo governo, superiores à cotação na orla marítima de Maceió, os Cips são construídos de modo frágeis e que, em pouco tempo, necessitam de reparos na sua estrutura. Ou seja, tem algo mais no ar além dos aviões de carreira.


SILÊNCIO SEPULCRAL

Os órgãos controladores e fiscalizadores parecem não se aperceberem de que os preços cotados nas licitações dos Cips beiram o absurdo, numa verdadeiro assalto aos cofres públicos. Com preços muitos inferiores aos que estão sendo pagos pelo Estado, a prefeitura de Arapiraca dá o exemplo de como contratar com responsabilidade obras do mesmo porte das executadas pelo estado de Alagoas.


RENDA PARA O SUL

Enquanto os recursos não oxigenam a economia alagoana, o Estado manda dinheiro para fora, ou seja, para a Verdi, localizada no Sul do País, ao invés de gerar emprego e renda para os alagoanos afetados gravemente pela pandemia.


NO AR

Nas conversas de bastidores nos subterrâneos das repartições públicas do Estado, não se fala em outra coisa a não ser a perspectiva de novas operações da Polícia Federal, que rastreia a utilização de recursos públicos durante a pandemia.


OUTRO ALVO

Os gastos com a construção de mais uma fase do Canal do Sertão também serão motivos de apuração, desde quando o Tribunal de Contas da União investigou e descobriu que construtoras cobraram do governo valores muito acima do mercado. Por isso e por outras coisas, que o governo federal tem colocado o pé no freio na liberação de recursos


INSATISFAÇÃO

As licitações feitas para a construção de mais Cips e creches em municípios no interior de Alagoas têm chamado a atenção dos próprios pequenos empresários do setor da construção civil, que, no máximo, são contratados para pequenos serviços. Isso tem incomodado a categoria, e a bomba, armada, pode estourar a qualquer momento.


APERITIVO

O governador Renan Filho ficou decepcionado com os resultados das eleições em Campo Grande e chegou até a comemorar antecipadamente nas redes sociais à pretensa vitória de Cícero Pinheiro, MDB. Mas quem ganhou foi Téo Higino, de tradicional família local que desbancou por 9 votos de diferença o candidato do governo. Esse resultado, embora o governador venha investindo maciçamente nos municípios, bem demonstra que Sua Excelência não domina os votos em Alagoas, como tem deixado transparecer.


ALERTA

A Secretaria Municipal do Trabalho, Abastecimento e Economia Solidária de Maceupi (Semtabes) alertou os permissionários dos mercados públicos e feiras livres da capital sobre o uso de produtos irregulares, vencidos ou adulterados, já que esses poderão perder a permissão de venda, além da interdição da banca. A fiscalização será feita pela Vigilância Sanitária, equipes da Semtabes e da administração do mercado.


» A média móvel de mortes diárias provocadas pela Covid-19 no Brasil subiu pelo segundo dia consecutivo nesta segunda-feira (13/9), atingindo a taxa de 465,1.

» Em comparação com a média registrada há duas semanas, houve retração de 30,3%. É o 22º dia seguido em que a tendência de redução das mortes é mantida e o sexto em que o indicador fica abaixo de 500..

» Alagoas aguarda do Ministério da Saúde (MS) os imunizantes contra a Covid-19 para iniciar a aplicação da 3ª dose para idosos.

» A previsão é que perto de 153 mil pessoas com idade acima de 70 anos, que tomaram a segunda dose da vacina e completaram o ciclo vacinal há seis meses, voltem aos pontos de vacinação nos municípios.

Mais matérias
desta edição