app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Fatos & Notícias

Confira os destaques da política alagoana #FN13112021

.

Por FATOS & NOTÍCIAS | Edição do dia 13/11/2021 - Matéria atualizada em 12/11/2021 às 22h50

A má conservação das estradas alagoanas de norte a sul tem sido o maior entrave para o desenvolvimento do turismo no Estado. Estradas mal cuidadas, inacabadas, como é o caso da Al-101 Norte, esburacadas e sem sinalização, decepcionam os turistas que veem em Alagoas um dos maiores potenciais do Nordeste.

Para empresários e a população de um modo geral, a lentidão na realização das obras causa prejuízos irreparáveis ao setor, e o governo, em vez de assinar novas ordens de serviços por aí afora, deveria dar prioridade àquelas que já foram iniciadas. Com isso, a geração de emprego e renda fica prejudicada e Alagoas cada vez mais se distancia dos outros estados da região.


QUASE PARANDO

Iniciada há pelo menos seis anos, a duplicação da Al-101 Norte não passou ainda dos seus dez quilômetros de extensão, muito embora seu planejamento seja completamente diferente do que foi anunciado pelo governo do Estado. A rodovia, que vai levar desenvolvimento para toda a região do Norte, com suas praias exuberantes, ainda vai demorar muito para sair do papel pela completa inoperância do governo.


ABRE ALAS

Na velocidade como o governo assina ordens de serviço na capital e no interior, até a desincompatibilização do seu titular em abril próximo, se esperam para muito em breve novas investidas do governo. Na pauta, novas unidades de saúde para cuidar de calo no pé, pequenos problemas capilares, queda de cabelo, calvície e até tratamento de piolho.


ROTA ABANDONADA

A Rota dos Milagres, um dos recantos mais bonitos e atraentes da região Norte do Estado, é o retrato do descaso do governo de Alagoas. Com pista de mão dupla, sem acostamento, precisando de melhoramentos urgentes e sem sinalização, assusta os turistas. Mesmo com pedidos e denúncias para que as estradas sejam reparadas, o governo fica apenas na boa intenção, mas sem realizar nada de prático para solucionar os inúmeros problemas.


AMALDIÇOADO

O dinheiro que o Estado abocanhou da BRK Ambiental com a outorga da Casal acabou sendo um problema e tanto para o governador Renan Filho, o qual, além de ter R$ 1 bilhão bloqueado pelo ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, ainda arranjou uma encrenca com todos os municípios da região metropolitana, incluindo Maceió.


ESTRAGO

A criação do novo partido União Brasil, uma fusão entre o Democratas e o Partido Social Liberal, o PSL, deve causar grandes estragos nas outras legendas, mas não tanto quanto o MDB. Pelo menos essa é a projeção feita por especialistas na área política.


SUMIU

Os R$ 5 milhões que o Estado levou de calote do Consórcio Nordeste para a compra de respiradores que nunca chegaram durante a pandemia dificilmente serão recuperado. E parece que vai ficar por isso mesmo. Cabe, agora, as autoridades exigirem o ressarcimento da grana e punir quem participou dessa maracutaia.


POSTOS AUTUADOS

Três postos de combustíveis foram autuados e uma distribuidora de combustível de aviação foi notificada durante uma fiscalização, que aconteceu entre 8 e 11 de novembro, da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), nas cidades de Maceió e Rio Largo. Os bairros não foram divulgados. Um dos postos vendia etanol hidratado fora dos padrões de qualidade, tendo bicos e tanque interditados. Outro oi autuado por “bomba baixa” e o terceiro, por ser “bandeira branca” (que pode comprar combustível de qualquer distribuidora) e exibir, indevidamente, marca comercial de uma distribuidora.


» Do jeito que vai daqui a um ano ficará inviável a manutenção e todos os hospitais recentemente inaugurados pelo governo do Estado.

» Enquanto o Estado anuncia a construção de UPAs na região metropolitana de Maceió, o HGE é relegado a segundo plano e continua convivendo com os mesmos problemas de antigamente.

» Com a disposição de não pagar o abono de permanência de acordo com parecer da Procuradoria Geral do Estado, é prevista uma debandada geral de servidores com direito a aposentadoria nos próximos meses.

» o governo do Estado gastou apenas 1,5% ou R$ 12 milhões da concessão da Casal com saneamento.

Mais matérias
desta edição