app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5715
Fatos & Notícias

Confira os destaques da política alagoana #FN15102022

.

Por FATOS & NOTÍCIAS | Edição do dia 15/10/2022 - Matéria atualizada em 15/10/2022 às 04h00

Se depender da bancada majoritária na Assembleia Legislativa, todos os deputados sairão da zona de conforto depois das eleições do primeiro turno e colocarão o pé na estrada para garantir a vitória do governador Paulo Dantas, candidato à reeleição contra o senador Rodrigo Cunha.

Depois da ação da Polícia Federal, que fez apreensões, afastou o governador das funções e foi acusada de uma ação político-eleitoreira, os deputados foram instados a voltar às suas bases e garantir a dianteira nesse processo eleitoral a favor do atual governador.

Com a decisão de que as bases políticas terão que ser reforçadas se desejarem, assim, que Paulo Dantas continue liderando nas pesquisas, as sessões na Assembleia Legislativa só devem voltar mesmo com força a partir da próxima legislatura, salvo que haja uma necessidade urgente e também convocada pelo Poder Executivo.


MOTIVOS

Se por um lado alguns deputados já justificavam nos bastidores que se esforçavam juntos às suas bases para eleger o seu candidato ao governo, agora a campanha será outra. Além da prioridade de eleger o seu governador, os parlamentares da Casa de Tavares Bastos também mergulham na escolha do nome do futuro presidente da República.


CAMPANHA REFORÇADA

Com sinais de que o afastamento do governador Paulo Dantas em nada influiu junto ao eleitorado depois da operação realizada pela Polícia Federal, o candidato à reeleição do Palácio República dos Palmares, ao contrário, tem recebido novos apoios pontuais. Ou seja, o escândalo, até agora, não se reverteu na perda de votos.


ANTIGO

Essa história de rachadinhas no parlamento alagoano é muito antiga e, a não ser que provas irrefutáveis estejam bastante claras no processo, a indicação é que não irá dar em nada.


ESTREMECIDAS

As alegações da ministra Laurita Vaz de que o delegado geral da Polícia de Alagoas, Gustavo Xavier, teria tentado influir no inquérito em que é alvo o governador Paulo Dantas motivaram a reação da Associação dos Delegados e do Sindicato da Polícia Civil, que se mostraram indignadas com as colocações feitas até agora.


SÓ EM JANEIRO

Para um funcionamento normal da Assembleia Legislativa, os mais experientes apostam em reuniões somente depois do recesso parlamentar, o que ocorre no final do ano. Até lá, acomodações de gabinetes dos novatos, apreciação de pautas polêmicas e acordos entre lideranças, além, é claro, de definir quem será o presidente da ALE na próxima legislatura.


ALVO

O deputado Arthur Lira, presidente da Câmara, é acusado por seus adversários de supostamente ter trabalhado para a efetivação da operação da Polícia Federal para prejudicar a campanha de Paulo Dantas e favorecer seu candidato, Rodrigo Cunha, que continua sem decolar nas pesquisas de opinião.


DESESPERO

Numa derrota iminente de acordo com levantamentos estatísticos, parece ter batido o desânimo na campanha do senador Rodrigo Cunha, que pensa reverter a situação agredindo com denúncias o seu adversário.


REGULAMENTAÇÃO

Por falar em pesquisa, a Câmara dos Deputados vai apreciar sua regulamentação nos próximos dias, mas deve esbarrar no Senado Federal até a realização das eleições do segundo turno. Pelo projeto, os institutos seriam responsabilizados criminalmente por erros seguidos de levantamentos por divergência de números com relação aos apurados nas urnas.


» A apreensão de dinheiro pela Polícia Federal nos últimos dias demonstra que não tem quem segure a compra de votos no Estado de Alagoas.

» Mas não existe proibição para quem guarda a sua grana em casa, fruto de negócios no âmbito empresarial.

» Se realmente não for comprovada a suposta prática de corrupção eleitoral em épocas atrás na Assembleia Legislativa, algumas autoridades ficarão em maus lençóis.

» O que não falta são denúncias a serem apuradas pelo Ministério Público Eleitoral nos dias em que antecede a eleição para o segundo turno para governador e presidente.

Mais matérias
desta edição