app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5647
Fatos & Notícias

Confira os destaques da política alagoana #FN12122023

.

Por FATOS & NOTÍCIAS | Edição do dia 12/12/2023 - Matéria atualizada em 12/12/2023 às 04h00

O tão esperado colapso da mina 18 da Braskem, no bairro do Mutange, que estava sendo monitorado 24 horas por dia pela Defesa Civil, terminou acontecendo no início da tarde do último domingo, mas, como previsto pelos técnicos que acompanham a situação, não causou vítimas tampouco há projeções de que possa afetar outras minas instaladas nas proximidades.

O rompimento da mina está sendo avaliado criteriosamente pela Defesa Civil para saber a dimensão exata do desmoronamento que aconteceu de forma cadenciada e não abrupta, o que causaria maiores estragos.

IMPACTO AMBIENTAL

Muito embora as coordenadorias de Defesa Civil do Estado e do município de Maceió venham atuando de forma integrada, a preocupação agora é saber sobre a influência do desmoronamento na Lagoa Mundaú, o que pode vir a prejudicar ainda mais a pesca já escassa na região.

EM ATENÇÃO

Mesmo que o colapso da mina estivesse dentro do que havia sido previsto pelos especialistas – todas as pessoas do entorno tinham sido retiradas para não correr risco -, ainda paira uma dúvida sobre a dimensão do problema.

GARANTIA

A Defesa Civil acredita que as outras minas próximas à de número 18 não serão afetadas, mas ainda não se sabe com precisão qual o volume de água da lagoa que migrou para a cavidade aberta. Além disso, também se estuda a contaminação do sal nas águas da lagoa, o que pode vir a comprometer, pelo menos em um prazo razoável, a pesca e o reaparecimento de moluscos, a exemplo do sururu, responsável pelo sustento de milhares de famílias.

IMPRUDÊNCIA

Antes da rutura da mina, canoas foram vistas na lagoa. Algumas pessoas insistiam na pesca, mesmo com a recomendação de que seria prudente não frequentar a região.

REALOCAÇÃO

Como a situação do bairro do Mutange chegou ao ápice com o desmoronamento da mina 18, as autoridades tratam agora da realocação de todas as famílias que moram nos Flexais de Baixo e de Cima, com as devidas indenizações que deverão ser feitas pela Braskem.

EM BRASÍLIA

A convite do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, o prefeito JHC viajou ontem para Brasília e deverá ser recebido hoje pelo Presidente Lula para tratar de assuntos pertinentes aos estragos causados pela Braskem. Ele cancelou a audiência que teria com o governador Paulo Dantas. Por outro lado, enviou técnicos da prefeitura para discutir o assunto com o gabinete de crise criado para acompanhar os desdobramentos do colapso da mina 18.

PARTIDA

O Senado programou para hoje a instalação da CPI da Braskem em meio ao impacto causado pelo desmoronamento da mina 18, no Mutange, mas, na prática, os trabalhos somente deverão ser iniciados no dia 1º de fevereiro, ou seja, após o recesso parlamentar. Até lá, haverá a definição de quem será o presidente da comissão – possibilidade de ser o senador Omar Aziz – e a relatoria, que poderia cair nas mãos do senador Renan Calheiros.

FAKE NEWS

As notícias desencontradas em grupos de WhatsApp e em outras redes sociais criou um clima de incerteza sobre o que aconteceu no Mutange. É por isso que a Defesa Civil Estadual disponibilizou o telefone 199 para esclarecimentos. Os boatos em nada contribuirão para a solução dos graves problemas causados pela empresa.


» A Defesa Civil se apressou em esclarecer a população de que o rompimento da mina número 18 se restringe apenas ao Mutange.

» O Ministério Público Federal aperta o cerco e espera que a Braskem cumpra o acordo com referência ao colapso ocorrido no último domingo.

» O Governador Paulo Dantas se reuniu com prefeitos dos 13 municípios da Região Metropolitana e representantes das vítimas da Brasikem e anunciou um pacotão de medidas que beneficiará os atingidos pela mineradora.

» Os equipamentos instalados no Mutange foram precisos ao mostrar em tempo real o desmoronamento da mina.

Mais matérias
desta edição