app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Imobiliário

Panorama do mercado imobiliário de Maceió é apresentado

Evento virtual trouxe dados de vendas e lançamentos no primeiro trimestre deste ano na capital alagoana

Por Editoria do Imobiliário & Construção | Edição do dia 08/05/2021 - Matéria atualizada em 06/05/2021 às 23h16

Com o objetivo de apresentar o panorama do mercado imobiliário no primeiro trimestre de 2021, apontando os dados sobre vendas e lançamentos de empreendimentos nos primeiros meses do ano, o Sindicato da Indústria da Construção do Estado de Alagoas (Sinduscon-AL), através da Comissão da Indústria Imobiliária (CII), promoveu na última segunda-feira (03/05) uma live com Fábio Tadeu, sócio-diretor da Brain e responsável  por estudos de mercado em mais de 600 cidades do país.

Ele começou a apresentação trazendo dados do mercado no ano de 2020 para fazer uma comparação com a realidade do mercado no início de 2021. Fábio Tadeu destacou que o estudo abordou lançamentos e vendas em algumas cidades do país no ano passado, incluindo Maceió. Foram analisados os mercados de Belo Horizonte, Curitiba, Goiância, Joinvile, Manaus, Porto Alegre, São Paulo e Uberlândia. Juntas, essas cidades representaram 41% das unidades vendidas em 2020.

“Setembro de 2020 foi o mês com maior número de lançamentos de unidades. Nos últimos 12 meses entraram no mercado lançamento de 2.547 apartamentos. Já para casas, foram 1.748 lançadas só no mês de junho de 2020”, explicou Fábio Tadeu.

Na live com pouco mais de 1h de duração ele detalhou sobre lançamentos, vendas, tipos de unidade, entre outros pontos de interesse dos empresários. Fábio Tadeu ressaltou que para o mercado de Maceió há potencial forte ainda não explorado de apartamentos de 1 a 2 dormitórios e também é baixo o volume de apartamento de 3 dormitórios. 

“É preciso destacar que o mercado segue movimentado e mês após mês reduzimos estoque de unidades em Maceió. Em dezembro/2020 foram vendida 350 unidades e já em janeiro/2021 foram 400 unidades comercializadas. Em fevereiro, com a pandemia mais crítica, houve uma redução”, completou o diretor da Brain Inteligência Estratégica.


Estudo analisou o mercado imobiliário de Maceió e apontou tipos de imóveis que mais foram comercializados
Estudo analisou o mercado imobiliário de Maceió e apontou tipos de imóveis que mais foram comercializados - Foto: Divulgação
 

Valorização

Sobre os reflexos que a pandemia poder trazer para os projetos a serem lançados, Fábio Tadeu destacou não existe imóvel pós-pandemia, mas é preciso que as construtoras ressaltem tudo que garanta o bem-estar dos moradores. “Área de lazer, fachada verde, varandas... É preciso valorizar todos os aspectos que já possui para o empreendimento e que possam estar conectados à qualidade de vida. Enquanto indústria imobiliária precisamos estar mais próximos também da indústria de móveis, ressaltar o mobiliário que pode ser mais funcional”, afirmou.

Com 42 anos de história no mercado imobiliário alagoano, o empresário Márcio Rapôso participou da live e falou da segurança do imóvel como investimento. “Fico lisonjeado de vender isso que é mais que um sonho, é um bem de raiz. Esta live é importante para todos nós que fazemos este mercado porque ouvindo os bons a gente aperfeiçoa muito”, disse Rapôso.

A live também contou com as participações do presidente do Sinduscon-AL, Alfredo Brêda, do presidente da Ademi-AL, Marcelo Raposo, do presidente do FNNIC, Marcos Holanda, o presidente da CII/Sinduscon-AL, Dalmo Neto, e do empresário Márcio Rapôso. O presidente do Sinduscon-AL, Alfredo Brêda, destacou a importância de trazer dados que orientem o setor e mostrem a realidade do mercado no início do ano. A live teve correalização da Ademi-AL, FIEA, FNNIC, patrocínio do Senai e apoio do Sebrae.

Mais matérias
desta edição