app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Imobiliário

Pesquisa aponta que brasileiros querem investir mais em imóveis

Levantamento foi realizado pela Brain com cerca de seis mil pessoas com renda acima de R$ 10 mil

Por Editoria do Imobiliário & Construção com Agência CBIC | Edição do dia 15/05/2021 - Matéria atualizada em 13/05/2021 às 23h50

Levantamento divulgado pela Brain Inteligência Estratégica, em março deste ano, atesta a confiança e o interesse que o brasileiro tem pelo imóvel como forma de investimento. O resultado da pesquisa, realizada com seis mil pessoas com renda acima de R$ 10 mil, foi divulgado semana passada e revelou que 57% daqueles que ainda não possuem imóveis como investimento, desejam fazer uma aquisição com esse objetivo. Do total de futuros investidores, a maioria visa com imóveis obter rentabilidade por meio de aluguéis (54%), um terço quer ter o imóvel como reserva de valor (32%) e apenas 14% querem comprar para revender.

O contexto econômico brasileiro tem se mostrado favorável à aquisição de imóveis como investimento por conta de fatores como taxas de juros mais baixas, inflação baixa, e preços atrativos.

O movimento cresce à medida em que a rentabilidade se torna mais interessante do que outro investimento como a poupança. Mesmo com a alta recente da taxa Selic em 0,75 ponto, para 3,5% ao ano, os juros continuam relativamente baixos, se comparados ao índice de cinco anos atrás, superior aos 14%. Em Goiás, o interesse em investir em imóveis também se faz cada vez mais presente, de olho em uma fatia do mercado, empresas focam lançamentos planejados para esse público.

Goiânia é uma das cidades em que esse movimento está fortalecido. Pesquisa que avalia as condições de negócios para o mercado imobiliário nas cidades brasileiras acima de 100 mil habitantes, realizada pela Urban Systems, no final do ano passado, classificou Goiânia em 6° lugar entre as cidades brasileiras que melhor oferecem condições de se realizar investimentos em imóveis.


Com a pandemia, as pessoas passaram a buscar investimentos mais seguros, como forma de proteger seus patrimônios, com isso, a procura por imóveis aumentou
Com a pandemia, as pessoas passaram a buscar investimentos mais seguros, como forma de proteger seus patrimônios, com isso, a procura por imóveis aumentou - Foto: Divulgação
 

O ranking que analisa oito indicadores (entre eles: geração de empregos e renda, demanda por novos domicílios, crescimento das empresas de serviços da área, crescimento dos estabelecimentos comerciais e o crescimento das empresas de construção civil) avaliou que a capital goiana oferece um ambiente com empresas do setor consolidadas, marcada pelo mercado formal de trabalhadores da área imobiliária bem estabelecidos.


Demanda em alta

“Com a pandemia, as pessoas passaram a buscar investimentos mais seguros, como forma de proteger seus patrimônios, com isso, a procura por imóveis aumentou e, como está mais difícil lançar um empreendimento, a quantidade de lançamentos diminuiu. Isso torna o investimento em imóveis ainda mais interessante” afirma o gestor de produto da World Trade Center (WTC), Marcos Henrique Santos.

Santos lembra que existem novas formas de se obter retorno de investimentos em imóveis e isso também tem estimulado novos investimentos. “Uma das formas é a oferecida pelas plataformas digitais, como é o caso do Airbnb, que permite a locação do imóvel por diárias. Outra é se tornar dono de quarto de um hotel e receber os lucros que este quarto oferece”, apontou. Marcos Henrique observa que a procura está alta tanto para imóveis residenciais quanto comerciais.

Mais matérias
desta edição