app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5715
Integração

Confira os destaques do interior alagoano #I04112022

.

Por MOZART LUNA | Edição do dia 04/11/2022 - Matéria atualizada em 04/11/2022 às 04h00

Mineração perigosa

A atividade de mineração na região Agreste de Alagoas continua sendo uma preocupação quanto aos perigos que representa para o meio ambiente, a agricultura familiar e principalmente a vida de milhares de pessoas nas cidades de Craíbas e Arapiraca. A barragem de rejeito é a maior já construída em Alagoas e tem acesso às calhas de rios temporários, que sempre tornam a “vida” no inverno. Este ano, durante o inverno, a empresa Vale Verde chegou a anunciar que a barragem estava vertendo, fato que buscou minimizar, alegando que tudo estava sobre controle, quanto ao perigo de rompimento, mas evitou dar informações sobre o rejeito que vazou junto com as águas das chuvas e que foi parar nas calhas dos rios temporários. Esses riachos temporários deságuam no rio São Francisco, que abastece todo o Sertão, parte do Agreste e os municípios ribeirinhos de Alagoas e Sergipe, além da capital Aracaju. Os perigos, portanto, não se limitam só ao povo alagoano, mas também sergipano, que ainda não tem conhecimento do perigo que é o vazamento do rejeito da barragem da Mineradora Vale Verde. Dessa vez, milhões alagoanos e sergipanos, podendo ser uma das maiores tragédias ambientais e de saúde pública do Nordeste brasileiro. Contudo, o Brasil vive momentos de mudanças quanto à política ambiental, e o presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, já avisou que a proteção ao meio ambiente é prioridade dele, e para isso conta com o apoio internacional.


Craíbas

A prefeitura de Craíbas é hoje considerada uma das que mais possuem recursos próprios, graças aos milhões que recebe todo mês da cobrança de Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN), oriundo da Mineradora Vale Verde. A prefeitura recebe também recursos federais oriundos da Lei Kandir de compensação dos incentivos às exportações e royalties da exploração do cobre.


Craíbas/pobre

O município, mesmo recebendo milhões todo mês, não consegue proporcionar à população melhor qualidade de vida. Os Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) são os piores de Alagoas e também do Nordeste. O desemprego, falta de moradia e qualidade de vida são problemas no cotidiano do povo de Craíbas.


Craíbas/números

Os números do IDH apresentado no município são os piores. Com uma população de 24.396 pessoas, apenas cerca de 2.500 têm trabalho formalizado, ou seja, 9,6% têm garantindo uma forma de sobrevivência. Os jovens entre 19 e 24, segundo dados do IBGE, não tem perspectiva de trabalho, num total de mais de 5 mil pessoas em idade produtiva. A maioria desempregada.


Craíbas/mortalidade

A taxa de mortalidade infantil média na cidade é de 14,29 para 1.000 nascidos vivos. As internações devido a diarreias são de 1,4 para cada 1.000 habitantes. Comparado com todos os municípios do Estado, fica nas posições 31 de 102 e 39 de 102, respectivamente. Quando comparado a cidades do Brasil todo, essas posições são de 1.803 de 5.570 e 1967 de 5.570, respectivamente.


Pão de Açúcar

Através da Secretaria de Agricultura de Pão de Açúcar e parceira com o Senar, foram realizadas ações de assistência técnica com ênfase em manejo nutricional de bovinos. Importantíssimo para diminuir custo e aumentar renda do produtor. Também foi realizada visita a alguns produtores para avaliar os bezerros frutos de inseminação artificial pela secretaria de agricultura.


Coruripe

Após uma parada de quase 2 anos, o grupo coral de Coruripe, vencedor de várias competições no Estado afora, voltou aos trabalhos nesta semana, com o primeiro ensaio para abrir as festividades da Padroeira de Coruripe, dia 29. A Secretaria Municipal de Cultura está resgatando e incentivando mais uma vez os talentos.


Pão de Açúcar/IGPS

A população de Pão de Açúcar será beneficiada hoje com mais uma ação de saúde do Instituto de Gestão de Políticas Públicas e Sociais (IGPS). As equipes do IGPS vão atender 50 homens na faixa etária de 45 anos para exames de urologia. A ação faz parte do Programa”Vença Esta Luta Antes de Começar”.


Arapiraca/abacaxi

A região Agreste é uma das que mais se destacam no cultivo do abacaxi em Alagoas, e Arapiraca é um dos municípios que produz boa parte do que é comercializado no Estado e até fora dele. Visando valorizar ainda mais os produtores da fruta e resgatar tradições, a Prefeitura de Arapiraca, através da Secretaria de Desenvolvimento Rural, e da Associação dos Mini e Pequenos Produtores de Abacaxi do Agreste, vão promover o 1° Festival do Abacaxi.

Mais matérias
desta edição