app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5713
Integração

Confira os destaques do interior alagoano #I24022023

.

Por MOZART LUNA | Edição do dia 24/02/2023 - Matéria atualizada em 24/02/2023 às 04h00

Só um milagre salva Milagres

Esta semana recebemos vídeos, fotos e relatos de moradores e até mesmo de investidores de São Miguel dos Milagres relatando os problemas causados com o crescimento urbanístico desordenado. Moradores e empresários alegam que os serviços de abastecimento de água, energia elétrica, coleta de lixo, telefonia celular e internet já apresentam os primeiros sinais de colapso total. Durante o carnaval já se podem sentir os problemas de perto, mas será no período de chuvas que se temem as inundações, já que são construídos muitos imóveis sem infraestrutura de saneamento básico, galeria e sistema de drenagem. Segundo um empresário, tudo está pronto para uma “tempestade perfeita”. Segundo ele, a água das chuvas vai engolir empreendimentos imobiliários. Não se tem um ordenamento urbanístico (Plano Diretor) em São Miguel dos Milagres. Não existe infraestrutura para suportar a avalanche de imóveis que estão sendo construídos”, alerta ele. Além dos problemas urbanísticos, existem danos provocados pela demanda turística como as piscinas naturais que estão superlotadas e sem nenhuma fiscalização de controle, aliados a inúmeros eventos que se realizam sem planejamento, o que provoca o aumento na quantidade de lixo produzido e estresse ambiental em um lugar em que antes só havia pescadores, que estão sendo expulsos por pessoas que se dizem donos da aéreas da União.


Agonia dos nativos

O site eassim.com.br, em um vídeo, mostra a “agonia dos nativos”, que são os pescadores, que tinham seus abrigos para guardar os apetrechos de pesca, destruídos pelos “donos das áreas da União”. Os abrigos tinham mais de 20 anos de instalados e hoje os pescadores, humilhados pela prepotência de quem tem o poder político e econômico, não têm onde ficar.


Terra sem lei

A situação da chamada Rota Ecológica é semelhante à da área do povo Ianomâmi na Amazônia, onde os garimpeiros destruíram tudo na exploração do ouro. A soberba do poder político e economia já destruiu tudo que tinha de originalidade de um local bucólico e paradisíaco.


ICMBIo

Os fiscais do ICMBio que foram transferidos da APA da Costa dos Corais, durante o governo Bolsonaro, estão de volta. Até o momento se mantém em silêncio, mas com certeza o rigor das fiscalizações vai voltar com o objetivo não de causar terror, mas de garantir a preservação ambiental. E para os infratores o rigor da lei.


Gestão ambiental

A Confederação Nacional de Municípios (CNM) promoveu na semana passada na última sexta-feira, 17 de fevereiro, mais uma transmissão do bate-papo com a CNM. A temática desta semana foi Contribuições das Soluções baseadas na Natureza (Sbn’s) para Gestão Municipal.


Assuntos

Foram abordados conceitos e boas práticas de soluções capazes de auxiliar na gestão ambiental municipal para enfrentamento de eventos extremos climáticos e adversidades ambientais. As Soluções baseadas na Natureza (SbN) são projetos e ações inspirados na natureza e que reproduzem os processos naturais com o objetivo de fortalecer e ampliar a resiliência das cidades, através de serviços ambientais.


IMA

O governo de Alagoas já lançou o Plano de 100 dias e o IMA tem algumas metas a bater. A primeira delas já está em andamento: com o Projeto Nossa Praia, estão sendo implantados displays com sacolas e lixeiras em todo o litoral alagoano. São três tipos de painéis: padrão, com rolo de sacola e lixeira; pet, para recolhimento de fezes de animais; e bituca, destinado aos filtros de cigarro.


Mudas

Outra meta do IMA faz parte do Projeto Alagoas Mais Verde. O IMA tem levado arborização aos 102 municípios e tem recuperado áreas desmatadas com o plantio de mudas de árvores nativas. Só em 2021, foi batida a meta de 1 milhão de mudas plantadas. Algumas espécies utilizadas são bem conhecidas nos biomas alagoanos, como: aroeira-vermelha (Schinus Terebinthifolia), ingá (Inga edulis), ipê-amarelo (Handroanthus Ochraceus) e saboneteira (Sapindus saponaria).

Mais matérias
desta edição