app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5712
Internacional

Avi�o russo desaparece com 17 pessoas

Moscou e Buston – Um avião de transporte civil russo AN-28 com 17 pessoas a bordo (14 passageiros e três membros da tripulação) interrompeu ontem os contatos com os controladores aéreos quando estava próximo de aterrissar na região de Jabarovsk (extremo l

Por | Edição do dia 30/08/2002 - Matéria atualizada em 30/08/2002 às 00h00

Moscou e Buston – Um avião de transporte civil russo AN-28 com 17 pessoas a bordo (14 passageiros e três membros da tripulação) interrompeu ontem os contatos com os controladores aéreos quando estava próximo de aterrissar na região de Jabarovsk (extremo leste da Rússia), segundo o Ministério de Situações de Emergência. O aparelho, procedente de Juabarovsk, se comunicou pela última vez com seus interlocutores às 11h58 (horário local), 12 minutos antes de sua aterrissagem prevista no pequeno aeródromo de Aian, povoado situado na costa do mar de Ojotsk, segundo a agência de notícias “Interfax”. Outro avião AN-28 e um helicóptero MI-8 foram enviados à região, situada 850 km ao norte de Jabarovsk. Titanic Em Boston, nos EUA, os restos do navio de passageiros Portland, que naufragou durante uma tempestade, há mais de um século, foram identificados no litoral de Massachusetts, disseram pesquisadores na quinta-feira. Calcula-se que 192 pessoas morreram no desastre, que ficou conhecido como “o Titanic da Nova Inglaterra”. O número exato de mortos nunca foi conhecido, porque a lista de passageiros, que não tinha cópias, naufragou junto com o Portland. A Administração Nacional Oceânica e Atmosférica confirmou a localização do vapor Portland, de 85 metros, que naufragou após deixar Boston em 26 de novembro de 1898, com destino ao Estado do Maine. “Não posso imaginar o que essas pessoas passaram na noite daquela tempestade”, comentou Benjamin Cowie-Haskell, principal investigador da equipe. Os ventos de até 145 quilômetros por hora naquele dia provocaram outros 400 naufrágios, que deixaram mais de 450 mortos.

Mais matérias
desta edição