app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5715
Internacional

Terroristas isl�micos matam 11 pessoas na Arg�lia

Um total de onze pessoas foram assassinadas ontem por terroristas islâmicos na província argelina de Ain Defla, ao sudoeste de Argel, informaram os serviços de segurança. O atentado, cometido nas proximidades da cidade de Sidi Lakhdar nas últimas horas

Por | Edição do dia 13/09/2002 - Matéria atualizada em 13/09/2002 às 00h00

Um total de onze pessoas foram assassinadas ontem por terroristas islâmicos na província argelina de Ain Defla, ao sudoeste de Argel, informaram os serviços de segurança. O atentado, cometido nas proximidades da cidade de Sidi Lakhdar nas últimas horas de ontem foi atribuído a “um grupo de terroristas”, termo utilizado pelas autoridades argelinas para designar os integrantes de organizações islâmicas armadas. Não foi dada nenhuma outra informação sobre as circunstâncias deste novo atentado, nem o sexo e nem a idade das vítimas. O comunicado dos serviços de segurança só informa que as onze pessoas foram assassinados numa estrada, o que pode significar que tenham sido interceptadas numa falsa blitz. O atentado pode ter sido perpetrado por um dos comandos do Grupo Islâmico Armado (GIA), organização muito ativa nessa região do país. Acordo Os governos do Peru e dos Estados Unidos assinaram ontem um convênio para iniciar um programa de redução sustentada dos cultivos de coca, que compreende uma ajuda de 300 milhões de dólares. O acordo foi assinado em Lima pelo presidente do Conselho de Ministros peruano, Luis Solari, e o encarregado de negócios da embaixada dos Estados Unidos no Peru, John Caulfield. Solari explicou que o convênio permitirá o desenvolvimento alternativo em áreas selecionadas, nas quais atualmente se produz coca ilegalmente. O representante americano disse que com este acordo os dois governos ratificam a firme vontade de combater o narcotráfico. Caulfield ressaltou que, com o convênio, seu país triplica os fundos destinados ao desenvolvimento alternativo, que serão canalizados por meio da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional nos próximos cinco anos. O diplomata americano destacou que nos últimos anos o Peru conseguiu reduzir 70 por cento dos cultivos de coca e que com a nova ajuda se espera alcançar a meta da erradicação completa.

Mais matérias
desta edição