app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5751
Internacional

Casa Branca diz que EUA est�o prontos para ataque ao Iraque

Washington – Os Estados Unidos devem tomar a iniciativa para prevenir uma ameaça à sua posição como potência militar mundial, segundo o relatório anual de segurança e estratégia divulgado ontem pela Casa Branca, no qual pede o início das ações contra o Ir

Por | Edição do dia 21/09/2002 - Matéria atualizada em 21/09/2002 às 00h00

Washington – Os Estados Unidos devem tomar a iniciativa para prevenir uma ameaça à sua posição como potência militar mundial, segundo o relatório anual de segurança e estratégia divulgado ontem pela Casa Branca, no qual pede o início das ações contra o Iraque. O relatório aponta a ação militar contra o terrorismo como prioridade da política de defesa. “Devemos estar preparados para deter o terrorismo antes de que seja capaz de utilizar armas de destruição em massa contra Estados Unidos, contra nossos amigos e aliados”, diz o relatório divulgado pela Casa Branca. O texto assegura que “quanto maior é a ameaça, é maior o risco da inação e maior é a obrigação de praticar ações preventivas para nos defendermos, inclusive se permanecem incertos o lugar e o momento em que atacará o inimigo”. “Para prevenir ações hostis por parte de nossos adversários, os Estados Unidos deverão agir com urgência”, afirma o relatório. As advertências dos Estados Unidos de que estão prontos para iniciar ações militares contra o Iraque, mesmo sem o apoio das Nações Unidas, provocaram um debate internacional a respeito dos riscos que isso implica. O relatório sobre a estratégia de segurança nacional dos Estados Unidos é feito anualmente e se trata do primeiro elaborado pela administração Bush. Relatório O governo de Bush publicará pela primeira vez seus planos de política externa e uma explicação sobre como oscilará a estratégia militar americana para uma política preventiva contra nações hostis e grupos terroristas, informou o jornal “The New York Times”. Segundo o jornal, que assinala ter conseguido uma cópia do texto final do documento que detalha essa nova estratégia, o relatório também indica que Washington não permitirá mais que sua supremacia militar seja questionada, como ocorreu durante a Guerra Fria. No documento de 33 páginas, o governo insiste em que os Estados Unidos usarão seu poderio militar e econômico para sustentar as “sociedades livres e abertas” em vez de simplesmente buscar “vantagens unilaterais”, disse o “The New York Times”. O documento, intitulado “A Estratégia de Segurança Nacional dos Estados Unidos”, é a primeira explicação completa sobre qual é e qual será a política externa de Washington, de acordo com o jornal.

Mais matérias
desta edição