app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5715
Internacional

Deputados ap�iam Bush na guerra contra o Iraque

Washington – Richard Gephardt, líder dos democratas na Câmara americana, reiterou ontem o apoio ao presidente George W. Bush no esforço de tirar o líder iraquiano, Saddam Husseim, do poder. “Sei que não concordamos em diversos assuntos domésticos, mas ago

Por | Edição do dia 03/10/2002 - Matéria atualizada em 03/10/2002 às 00h00

Washington – Richard Gephardt, líder dos democratas na Câmara americana, reiterou ontem o apoio ao presidente George W. Bush no esforço de tirar o líder iraquiano, Saddam Husseim, do poder. “Sei que não concordamos em diversos assuntos domésticos, mas agora temos que fazer o que for possível para evitar que nosso povo sofra com novas ameaças”, disse o líder dos democratas. O pronunciamento, ocorrido em Washington, contou com a participação de John Warner, um senador e herói de guerra em território vietnamita. Ele se disse agradecido por tudo o que Bush tem feito para o desarmamento iraquiano afirmando que “no fim não só a população americana será agredicida por seus atos, mas também o restante do mundo”. Diplomatas norte-america-nos tentaram conquistar apoio dentro da Organização das Nações Unidas (ONU) para um projeto de dura resolução, com exigências de que, entre outras medidas, o Iraque abra todo o seu território aos inspetores de armas sob pena de ser alvo de uma ação militar. Até agora apenas o Reino Unido, dentre os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU (que possuem poder de veto), assinou o projeto, classificado por diplomatas como um plano de guerra. A França, a Rússia e a China mostraram-se relutantes a autorizar os EUA a tomar a decisão sobre quando o Iraque teria violado os termos de uma nova resolução. Mas diplomatas disseram não haver certeza nenhuma de que algum dos três países usaria seu poder de veto para bloquear as manobras norte-americanas.

Mais matérias
desta edição