app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5709
Internacional

Governador russo � morto com um tiro, em Moscou

Moscou – Valentin Tsvetkov, 54, governador da Região de Magadan (leste) – uma zona rica da Rússia – foi assassinado ontem com um tiro dado por um matador de aluguel em uma movimentada avenida de Moscou, disse a polícia. Ele foi eliminado em uma avenid

Por | Edição do dia 19/10/2002 - Matéria atualizada em 19/10/2002 às 00h00

Moscou – Valentin Tsvetkov, 54, governador da Região de Magadan (leste) – uma zona rica da Rússia – foi assassinado ontem com um tiro dado por um matador de aluguel em uma movimentada avenida de Moscou, disse a polícia. Ele foi eliminado em uma avenida movimentada, com cassinos, bares e lojas de roupas caras e via de acesso ao Kremlin (sede do governo federal). O assassinato, em um dos locais mais bem policiados de Moscou, foi o primeiro de uma figura política de peso desde que o presidente Vladimir Putin tomou posse, em maio de 2000, e representa uma afronta direta à dura política dele de combate ao crime. A polícia disse que o assassino escondeu-se atrás de uma placa e disparou contra a cabeça de Tsvetkov com uma pistola equipada com silenciador quando o governador saiu dos prédios próximos do gabinete regional de Magadan na capital, informou um canal de TV do País. Segundo a polícia, o assassino também tentou disparar contra o vice-gover-nador, que estava com Tsvetkov, mas errou o alvo. Putin, que busca atrair investimentos externos, tenta livrar o país da imagem de terra de criminosos surgida durante os anos que se seguiram à queda do regime soviético, quando a Rússia viveu sob o comando de Boris Ieltsin. O presidente imediatamente mandou que o procurador-geral do país, Vladimir Ustinov, e o ministro do Interior da Rússia, Boris Gryzlov, cuidassem pessoalmente das investigações. Um porta-voz do governo afirmou que Putin enviou suas condolências para a viúva da vítima. Depois de disparar, o assassino saltou para dentro de um carro que o aguardava e fugiu do local do crime, disse a agência de notícias Itar-Tass.

Mais matérias
desta edição