app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5749
Internacional

Bush quer atacar Iraque com ou sem aval da ONU

Washington – Endurecendo seu discurso, apesar do clima diplomático do encontro no Texas com o presidente chinês, Jiang Zemin, o presidente George Bush anunciou que rechaçará qualquer resolução que o impeça de iniciar uma ação militar para desarmar o Iraqu

Por | Edição do dia 26/10/2002 - Matéria atualizada em 26/10/2002 às 00h00

Washington – Endurecendo seu discurso, apesar do clima diplomático do encontro no Texas com o presidente chinês, Jiang Zemin, o presidente George Bush anunciou que rechaçará qualquer resolução que o impeça de iniciar uma ação militar para desarmar o Iraque. “Não  aceitaremos uma resolução que nos impeça de fazer exatamente o que anunciamos ao povo americano: se a ONU não quiser intervir e se Saddam Hussein não quiser se desarmar, encabeçaremos uma coalizão para desarmá-lo”, disse. Bush pediu ao presidente chinês que apóie a aprovação de uma resolução mais dura das Nações Unidas contra o Iraque. “A China quer que o Iraque cumpra de modo estrito todas as resoluções da ONU”, afirmou Bush, sem porém indicar qual a posição dos chineses em relação à nova proposta de resolução prevendo uma operação militar. Coréia do Norte Apesar de nenhuma declaração mais objetiva de Jiang indicar que a China apoiará os EUA no Conselho de Segurança da ONU, ao menos uma posição conjunta foi alcançada no encontro: ambos fizeram votos de uma península coreana sem armas nucleares. A China é considerada a maior aliada da Coréia do Norte, país que reconheceu ter um programa secreto de desenvolvimento de armas nucleares, o que é proibido por um tratado assinado por Pyongyang em 1994 com os EUA. O presidente chinês afirmou que não sabia do programa nuclear norte-coreano. “Estávamos completamente no escuro”, disse Jiang Zemin.

Mais matérias
desta edição