app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5756
Internacional

Protestos contra concurso de Miss Mundo deixam 105 mortos na Nig�ria

Kaduna – Confrontos entre muçulmanos e cristãos na cidade de Kaduna, no norte da Nigéria, deixaram ao menos 105 mortos e 521 feridos, ontem. Eles voltaram voltaram a se enfrentar, no terceiro dia do conflito provocado por um artigo de jornal que suger

Por | Edição do dia 23/11/2002 - Matéria atualizada em 23/11/2002 às 00h00

Kaduna – Confrontos entre muçulmanos e cristãos na cidade de Kaduna, no norte da Nigéria, deixaram ao menos 105 mortos e 521 feridos, ontem. Eles voltaram voltaram a se enfrentar, no terceiro dia do conflito provocado por um artigo de jornal que sugeria que o profeta Muhammad (Maomé), fundador do islamismo, aprovaria o concurso de Miss Mundo, que será realizado na Nigéria. A publicação foi considerada pelos muçulmanos uma blasfêmia. Representantes do governo federal foram ontem em Kaduna para negociar com representantes das autoridades religiosas e tentar acalmar os ânimos, disse Muktar Sirajo, porta-voz do Estado de Kaduna. As autoridades enviaram militares para ajudar a polícia. O toque de recolher, decretado quarta-feira, foi prolongado por 24 horas, depois de uma nova noite de confrontos, em que jovens muçulmanos e cristãos queimaram igrejas e mesquitas, saquearam lojas e destruíram veículos. O presidente da Cruz Vermelha na Nigéria, Emmanuel Ijewere, declarou que o número de mortos foi confirmado por funcionários de Kaduna. Segundo Ijewere, o número de mortos poderia aumentar. “Há algumas casas que não foram revistadas. É possível que haja vítimas nessas casas.” Pouco antes, um porta-voz da Cruz Vermelha nigeriana disse que pelo menos 521 feridos tinham sido retirados por equipes de médicos voluntários para os hospitais da cidade. A realização do concurso de beleza na Nigéria provocou polêmica entre os muçulmanos. Os protestos começaram há três dias por causa de um artigo do jornal nigeriano “This Day”, que no sábado publicou o artigo considerado profano pelos muçulmanos. Rapidamente, a situação evoluiu para um enfrentamento entre cristãos e muçulmanos da cidade e uma manifestação genérica contra o concurso de beleza, marcado para 7 de dezembro na capital da Nigéria, Abuja. A entidade Umma Muçulmana Nigeriana declarou “séria emergência religiosa” e pediu formalmente ao governo que cancele o concurso, apontado pelos muçulmanos como “um desfile de nudez”. Aanteontem, o jornal publicou na primeira página um pedido de desculpas, dizendo que o artigo foi publicado por engano. Mas isso não acalmou os muçulmanos, que são maioria no norte do país.

Mais matérias
desta edição