app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5735
Internacional

Busca por sobreviventes � ineficaz

São Paulo, SP – Sendo mínimas as esperanças de encontrar sobreviventes, as equipes de resgate prosseguiam ontem as buscas pelos mais de 420 desaparecidos no naufrágio de uma embarcação no rio Yangtze, na China, ocorrido na última segunda (1º). As autorida

Por | Edição do dia 04/06/2015 - Matéria atualizada em 04/06/2015 às 00h00

São Paulo, SP – Sendo mínimas as esperanças de encontrar sobreviventes, as equipes de resgate prosseguiam ontem as buscas pelos mais de 420 desaparecidos no naufrágio de uma embarcação no rio Yangtze, na China, ocorrido na última segunda (1º). As autoridades suspeitam que a tragédia tenha sido provocada por um tornado. No local do acidente, sob uma forte chuva, cerca de 200 mergulhadores trabalham no casco do “Dongfangzhixing” (“Estrela do Oriente”). Eles enfrentam dificuldades como o bloqueio de portas de cabines por mesas e camas. Também há o temor de as tentativas de abrir o casco do navio libere o ar que podem manter as pessoas vivas no interior do barco. “Espero um milagre”, declarou à AFP, na cidade de Chongqing, o filho de um homem que trabalhava há dez anos no cruzeiro. Dois dias após a tragédia, o balanço de vítimas permanece em 18 mortos, alguns deles encontrados a 50 quilômetros do local do acidente. Foram resgatados 14 sobreviventes. TORNADO O navio afundou com 456 passageiros e tripulantes em menos de dois minutos na segunda-feira à noite, depois de ser atingido por uma tempestade. De acordo com a Agência Estatal de Meteorologia, um tornado atingiu brevemente a região do acidente, acompanhado de ventos de mais de 117 km/h e de chuvas de mais de 64 mm em uma hora. Isso coincide com a versão do capitão e do engenheiro-chefe do cruzeiro, que foram resgatados e afirmaram que o navio foi atingido por um “tornado”. Eles foram detidos e estão à disposição dos investigadores.

Mais matérias
desta edição