app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Internacional

EUA pedem que Brasil mude controle de turistas

Washington e Brasília – Os Estados Unidos queixaram-se ontem da lentidão das novas  medidas aplicadas no Brasil para o controle de identidade dos turistas norte-americanos que entram no país e pediram mudanças. “Dissemos aos brasileiros que estas medidas

Por | Edição do dia 07/01/2004 - Matéria atualizada em 07/01/2004 às 00h00

Washington e Brasília – Os Estados Unidos queixaram-se ontem da lentidão das novas  medidas aplicadas no Brasil para o controle de identidade dos turistas norte-americanos que entram no país e pediram mudanças. “Dissemos aos brasileiros que estas medidas representam uma terrível inconveniência para os passageiros e que precisam, sim, ser mudadas”, disse à imprensa Richard Boucher, porta-voz do Departamento de Estado. “Desejaria que eles descrevessem por que estão fazendo isto, se por castigo ou reciprocidade ou o quê”, acrescentou Boucher. O governo norte-americano afirma, além disso, que a medida tomada pelo Brasil está afetando as viagens entre os dois países. “Achamos, pelo visto, que foi um programa aplicado com pressa, que não foi bem preparado, e que resulta em atrasos significativos, o que não interessa aos Estados Unidos, aos passageiros norte-americanos e, francamente, ao Brasil em termos de atrair negócios e turistas”, disse Boucher. Reciprocidade A decisão da Justiça brasileira de fotografar e recolher as impressões digitais de cidadãos norte-americanos que chegam ao Brasil serve, na avaliação do senador Eduardo Suplicy (PT-SP), para mostrar ao governo dos Estados Unidos que fichar brasileiros nos aeroportos americanos é uma decisão “exagerada e que deve ser eliminada”. A medida adotada pelo juiz federal Julier Sebastião da Silva, de Mato Grosso – de fichar os cidadãos norte-americanos que chegam ao Brasil – entrou em vigor no início do ano e deverá valer enquanto durar o mesmo sistema adotado pelo governo dos Estados Unidos. Eduardo Suplicy, que preside a Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE), admitiu que as medidas de segurança adotadas pelo governo americano podem prejudicar a circulação de pessoas entre os dois países, o que considera grave, já que vai afetar principalmente o turismo. No entanto, ele considerou ainda mais grave a decisão dos Estados Unidos com relação ao Brasil, uma vez que cidadãos de 27 países, incluindo os da União Européia e do Japão, não precisam ser fichados ao desembarcarem naquele país.

Mais matérias
desta edição