app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5752
Internacional

Erro dos EUA permitiu fuga de Bin Laden em Tora Bora

Washington – O governo dos EUA chegou à conclusão de que as forças norte-americanas deixaram o líder da rede terrorista Al Qaeda, Osama bin Laden, escapar durante um combate na cidade de Tora Bora (leste do Afeganistão), de acordo com jornal Washington Po

Por | Edição do dia 18/04/2002 - Matéria atualizada em 18/04/2002 às 00h00

Washington – O governo dos EUA chegou à conclusão de que as forças norte-americanas deixaram o líder da rede terrorista Al Qaeda, Osama bin Laden, escapar durante um combate na cidade de Tora Bora (leste do Afeganistão), de acordo com jornal Washington Post. “O erro (dos  EUA) mais grave na guerra contra a Al Qaeda foi não enviar tropas para capturá-lo (Bin Laden) em Tora Bora’’, diz o jornal, sem identificar as fontes civis e militares que teriam passado a informação. A batalha em Tora Bora, no fim do ano passado, aconteceu quando os Estados Unidos e os aliados afegãos encontraram um foco de resistência da Al Qaeda e supostos talibãs em uma zona próxima à fronteira com o Paquistão. Os EUA enviaram dezenas de soldados de suas forças especiais para a região e ofereceram apoio aéreo e de espionagem. As ações terrestres foram assumidas na maioria das vezes pelas equipes afegãs. De acordo com o jornal, os serviços de espionagem dos EUA “reuniram provas decisivas de que Bin Laden iniciou a batalha em Tora Bora dentro do complexo de cavernas na região montanhosa no leste do Afeganistão’’. “Mesmo havendo uma possibilidade remota de que ele (Bin Laden) tenha morrido na região, os serviços estão convencidos de que Bin Laden escapou nos dez primeiros dias de dezembro’’, segundo o jornal. O governo dos EUA acusa Bin Laden e a Al Qaeda de serem os responsáveis pelos ataques terroristas lançados contra o World Trade Center, em Nova Iorque, e o Pentágono, nas cercanias de Washington, em 11 de setembro, nos quais morreram cerca de 3.000 pessoas. Entre as pessoas entrevistadas pelo jornal, há a opinião do chefe do comando central das operações no Afeganistão, general Tommy Franks, que diz ter “julgado de maneira errada os interesses dos supostos aliados afegãos e perdeu a melhor oportunidade de capturar ou matar o líder da Al Qaeda’’. Atentado O porta-voz da rede terrorista Al Qaeda de Osama bin Laden reivindicou os atentados de 11 de setembro nos Estados Unidos em um vídeo divulgado ontem pela rede de televisão por satélite árabe Middle East Broadcasting Center (MBC). “Conseguimos atingir a cabeça dos infiéis em seu próprio solo”, declarou o porta-voz, Suleiman Abu Ghaith, neste vídeo “cuja gravação começou, ao que parece, em dezembro”, segundo MBC. “Deus nos pediu para aterrorizar os descrentes e os aterrorizamos”, acrescentou. O vídeo é uma coletânea de imagens, como o divulgado na segunda-feira pela rede de TV AL Jazeera, em que o médico egípcio Ayman al-Zawahri, considerado amigo de Bin Laden e o segundo homem mais forte da Al Qaeda, também reivindica a autoria dos ataques e os qualifica como “uma grande vitória”.

Mais matérias
desta edição