app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5710
Internacional

Avi�o bate em pr�dio de 30 andares de Mil�o

Milão – Um pequeno avião turístico atingiu, ontem, um arranha-céu no centro de Milão, matando pelo menos três pessoas e  ferindo dezenas, no que autoridades italianas concluíram que  foi um acidente, e não um atentado. O piloto do avião avisou que  esta

Por | Edição do dia 19/04/2002 - Matéria atualizada em 19/04/2002 às 00h00

Milão – Um pequeno avião turístico atingiu, ontem, um arranha-céu no centro de Milão, matando pelo menos três pessoas e  ferindo dezenas, no que autoridades italianas concluíram que  foi um acidente, e não um atentado. O piloto do avião avisou que  estava com problemas técnicos pouco antes do choque, que destruiu os andares superiores do prédio de 30 andares, o mais alto de Milão. A polícia disse que uma mulher se atirou do alto do edifício durante o incêndio que se seguiu ao choque. Mas o prédio, que abriga escritórios governamentais, estava praticamente vazio na hora do acidente, 17h45 no horário local (12h45 em Brasília). O funcionário público Maurizio Sala estava no 20º andar do prédio quando duas explosões sacudiram o edifício, conhecido como Pirelli, embora a empresa italiana não o ocupe mais. “Corremos para a janela e de repente percebemos que era alguma coisa parecida com as torres do World Trade Center, porque milhares de folhas de papel estavam voando do lado de fora”, afirmou ele. Uma autoridade regional informou que, por sorte, os cinco andares superiores do edifício estavam vazios, porque estavam passando por uma reforma. “Temos notícia de três mortos e dezenas de feridos”, disse Pier Gianni Prosperini, vice-chefe do governo regional de Milão. Uma autoridade da Agência Nacional de Segurança Aérea declarou que o choque foi “evidentemente um acidente aéreo”. O piloto do avião Rockwell Commander, que tem capacidade para quatro pessoas, tinha cerca de 30 anos de experiência e decolou da cidade suíça de Locarno em direção ao aeroporto Linate, nos arredores de Milão, numa tarde de tempo bom.

Mais matérias
desta edição