app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5749
Internacional

Ministro palestino acusa Sharon de preparar assassinato de Arafat

Ramallah – O ministro palestino da Informação, Yasser Abed Rabbo, acusou ontem o primeiro-ministro israelense, Ariel Sharon, de preparar o assassinato do presidente da Autoridade Palestina, Iasser Arafat, em uma nova fase de sua ofensiva. “Enviamos um mem

Por | Edição do dia 23/04/2002 - Matéria atualizada em 23/04/2002 às 00h00

Ramallah – O ministro palestino da Informação, Yasser Abed Rabbo, acusou ontem o primeiro-ministro israelense, Ariel Sharon, de preparar o assassinato do presidente da Autoridade Palestina, Iasser Arafat, em uma nova fase de sua ofensiva. “Enviamos um memorando a todos os países para informar-lhes que a próxima fase do plano de Sharon é assassinar o Arafat”, declarou Abed Rabbo aos jornalistas em Ramallah, onde Arafat é vigiado pelo Exército israelense. O premier israelense anunciou o fim da primeira fase da operação “Muro Protetor” na Cisjordânia, iniciada no dia 29 de março, mas adiantou que “a luta contra o terrorismo continuará”. Sharon, que manifestou recentemente seu “arrependimento” por não ter “liquidado” Arafat em Beirute, em 1982, depois da invasão israelense, reafirmou depois sua promessa feita ao presidente norte-americano George W. Bush de não “atentar fisicamente” contra o presidente palestino. Expulsão A polícia israelense expulsou na noite de ontem nove famílias palestinas que vivem em casas reclamadas por colonos judeus em Jerusalém Oriental. As casas se localizam no bairro árabe de Cheikh Jarrá, no setor oriental, anexado e ocupado por Israel desde 1967. O tribunal de Jerusalém autorizou há alguns dias a expulsão dessas nove famílias. A parte oriental da cidade foi ocupada pelos israelenses na guerra de 1967 e é reivindicada como capital pelos palestinos. O status final de Jerusalém sempre foi um dos temas mais delicados das negociações de paz. O líder palestino Iasser Arafat já chegou a dizer que “o Estado palestino será criado com Jerusalém Oriental como sua capital”.

Mais matérias
desta edição