app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5756
Internacional

No Iraque, EUA perdem 36 soldados num s� dia

Os Estados Unidos nunca sofreram uma baixa tão elevada em um único dia de membros de suas Forças Armadas presentes no Iraque como a ocorrida ontem. Ao menos 36 soldados americanos morreram em diferentes acidentes. Na manhã de ontem, 31 militares marines

Por | Edição do dia 27/01/2005 - Matéria atualizada em 27/01/2005 às 00h00

Os Estados Unidos nunca sofreram uma baixa tão elevada em um único dia de membros de suas Forças Armadas presentes no Iraque como a ocorrida ontem. Ao menos 36 soldados americanos morreram em diferentes acidentes. Na manhã de ontem, 31 militares marines (fuzileiros navais) morreram na queda de um helicóptero na cidade de Rutbah (354 km a oeste da capital Bagdá) durante operações de segurança na região. É a maior baixa de americanos em um único incidente desde o início da guerra, há 22 meses. O recorde de baixas anterior era de 28 soldados, que morreram em combate em 23 de março de 2003, terceiro dia da Guerra do Iraque. Outros quatro marines morreram em um ataque rebelde na Província de Anbar (oeste da capital Bagdá) e um soldado dos EUA foi morto ao norte de Bagdá. Isso eleva a 36 o número de militares americanos mortos ontem – maior baixa dos EUA em um único dia em solo iraquiano, desde que Washington declarou o fim dos principais combates no Iraque, em 1º de maio de 2003. Os EUA já perderam 1.417 cidadãos americanos desde 20 de março de 2003. O presidente norte-americano, George W. Bush, expressou seu pesar pela morte dos 31 marines durante sua primeira entrevista coletiva após assumir seu segundo mandato à frente da Presidência dos EUA. A queda do helicóptero foi confirmada em um comunicado oficial das forças militares americanas, segundo o jornal americano The New York Times. “Sei que o Departamento de Defesa está investigando o caso e é obvio que a perda de vidas é triste em qualquer momento”, disse Bush. “A história de hoje será bastante desencorajadora para o povo americano. Eu entendo isso. Nós valorizamos a vida. E lamentamos quando soldados perdem suas vidas”, disse.

Mais matérias
desta edição