app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5758
Internacional

Suspeita de fraude adia resultado da elei��o no Iraque, previsto para hoje

Funcionários da Comissão Eleitoral Independente do Iraque anunciaram o adiamento da divulgação do resultado das eleições legislativas, prevista para hoje depois de suspeitas de fraude. Segundo comunicado oficial, a comissão descobriu “algumas discrepânci

Por | Edição do dia 10/02/2005 - Matéria atualizada em 10/02/2005 às 00h00

Funcionários da Comissão Eleitoral Independente do Iraque anunciaram o adiamento da divulgação do resultado das eleições legislativas, prevista para hoje depois de suspeitas de fraude. Segundo comunicado oficial, a comissão descobriu “algumas discrepâncias de informação” e votos de cerca de 300 urnas terão de ser recontados. De acordo com a rede de TV árabe Al Jazira [Qatar], a comissão registrou mais de 200 reclamações contra a realização do pleito. A recontagem será iniciada hoje e não há previsão de término. “Nós não sabemos quando a recontagem vai terminar”, afirmou o porta-voz da comissão, Farid Ayar. “Por isso, haverá um pequeno adiamento na divulgação dos resultados”, disse. Mossul Em Mossul (norte do Iraque), alguns líderes sunitas e políticos cristãos alegaram que milhares de seus partidários foram impedidos de votar. Funcionários da comissão afirmaram que os problemas na região se deram sobretudo à falta de segurança, que impediu que cerca de um terço dos 330 postos de votação abrissem. Houve relatos de homens armados que se apoderaram de urnas de votação, segundo a comissão. Autoridades eleitorais não informaram quantos votos foram declarados inválidos e nem se eles vieram de Mossul - que tem população majoritariamente sunita e onde há maior incidência de violência. Exterior Na última sexta-feira (4), a  Organização Internacional  para Migração (OIM) divulgou  os resultados das eleições organizadas em 14 países. A coalizão xiita Aliança do Iraque venceu, com 36,15% de um total de 263.685 votos válidos. Os curdos ficaram em segundo lugar, com 29,6% dos votos. Segundo o comunicado da OIM, a maioria dos votos aos xiitas veio do Irã - país com o qual políticos xiitas conservam uma estreita relação - e dos Estados Unidos. Ao todo, a organização recebeu 265.149 votos, dos quais foram excluídos os nulos e brancos. A OIM esperava que mais de 1 milhão de eleitores iraquianos participassem das eleições. Catorze países participaram do pleito - Alemanha, Austrália, Canadá, Dinamarca, Emirados Árabes Unidos, Estados Unidos, França, Holanda, Irã, Jordânia, Síria, Suécia, Turquia e Reino Unido. A Comissão Eleitoral iraquiana estimou, após o encerramento das eleições de 30 de janeiro, que cerca de 8 milhões de iraquianos votaram (de um total de 14,2 milhões de maiores de 18 anos inscritos e aptos a votar), o equivalente a 60%. A população total iraquiana é de cerca de 27 milhões de pessoas.

Mais matérias
desta edição