app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5715
Internacional

Justi�a pro�be protesto nas elei��es da Fran�a

Paris – O Conselho Constitucional francês advertiu  ontem que usar luvas ou tapar o nariz na hora de votar no segundo turno das eleições presidenciais, amanhã, é inconstitucional. Grupos esquerdistas difundiram a operação “Mãos Limpas” e “Pregador no Nari

Por | Edição do dia 04/05/2002 - Matéria atualizada em 04/05/2002 às 00h00

Paris – O Conselho Constitucional francês advertiu  ontem que usar luvas ou tapar o nariz na hora de votar no segundo turno das eleições presidenciais, amanhã, é inconstitucional. Grupos esquerdistas difundiram a operação “Mãos Limpas” e “Pregador no Nariz” nos últimos dias na França. Usando luvas ou tapando o nariz, os eleitores manifestariam o seu desgosto em ter de votar no candidato de centro-direita, Jacques Chirac, suspeito de corrupção, para conter o avanço da extrema direita de Jean-Marie Le Pen. “Tape o nariz e vote em Chirac”, diz uma das campanhas. “Salve a democracia, mantendo as mãos limpas”, incita outra. No entendimento do Conselho Constitucional, o protesto é “contrário ao segredo do voto” e avisou que as contravenções podem levar a um ano de prisão ou a multa de 15 mil euros (R$ 33,2 mil), conforme o Código Eleitoral da França. Entre 2.000 e 2.500 juízes vão supervisar as eleições e estarão atentos a qualquer tipo de manifestação na hora do voto. O Conselho Constitucional disse que pode anular “pura e simplesmente” o escrutínio de uma zona eleitoral onde infrações desse tipo ocorram. Ele alertou também que tais atos podem permitir que a Frente Nacional, partido de Le Pen, recorra à Justiça. O prefeito socialista de Villemagne (sul), Alain Bauda, está porém decidido a enfrentar a Justiça eleitoral. Ele anunciou que vai distribuir luvas e produtos de desinfecção aos eleitores “contrariados” por votar em Chirac. O prefeito não acha que a atitude ponha em risco o segredo do voto. A proximidade das eleições renovou a tensão política no país, que havia entrado em calmaria depois das manifestações de quarta-feira. Le Pen está propagando que “uma operação de fraude enorme, gigantesca” vem sendo preparada contra ele. “Um clima totalitário se instalou na França”, afirmou. “Hoje, tudo é bom para abater Le Pen”.

Mais matérias
desta edição