app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5716
Internacional

Ataque das Farc atinge igreja e deixa 60 mortos e 93 feridos

Bogotá – Um ataque com explosivos de guerrilheiros das Farc deixou quinta-feira à noite ao menos 60 civis mortos, 93 feridos e 145 desaparecidos na cidade de Bojayá, no Estado de Chocó (norte da Colômbia), afirmaram ontem fontes oficiais. Segundo pelo men

Por | Edição do dia 04/05/2002 - Matéria atualizada em 04/05/2002 às 00h00

Bogotá – Um ataque com explosivos de guerrilheiros das Farc deixou quinta-feira à noite ao menos 60 civis mortos, 93 feridos e 145 desaparecidos na cidade de Bojayá, no Estado de Chocó (norte da Colômbia), afirmaram ontem fontes oficiais. Segundo pelo menos três fontes civis, as mortes ocorreram quando as pessoas buscavam refúgio dos combates entre guerrilheiros que estão acontecendo desde o começo da semana na região. O prefeito de Bojayá (que fica a cerca de 600 km de Bogotá), Ariel Palacio, confirmou esta versão. Segundo ele, um cilindro-bomba explodiu dentro de uma igreja que dava refúgio à população. “Tínhamos preparado as pessoas para que se concentrassem em locais onde pudessem ser excluídas deste confronto, mas caiu um artefato exatamente na igreja, e isto nos gerou esta catástrofe no município”, acrescentou. Funcionários da prefeitura de Bojayá disseram à cadeia de rádio RCN que uma frente das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) atacou a população horas depois de ter entrado em combate com um comando paramilitar de ultradireita. As fontes disseram que os guerrilheiros de esquerda regressaram ao povoado e lançaram um botijão de gás repleto de dinamite contra centenas de pessoas reunidas na praça central da cidade, que está incomunicável por telefone e em emergência sanitária. “São sessenta mortos e a informação que temos é de que todos eles são civis”, disse o secretário de governo local, Jorge Caicedo. “Estamos diante de uma tragédia nacional que demanda a solidariedade de todo o país e a intervenção imediata do socorro nacional”, afirmou.

Mais matérias
desta edição