app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5730
Internacional

Equipe internacional vai revisar elei��es

| Folha Online Com agências internacionais Após inúmeras reclamações e acusações de fraude feitas por políticos seculares xiitas e sunitas, uma comissão internacional foi criada para analisar as eleições iraquianas ocorridas no último dia 15. O grupo s

Por | Edição do dia 01/01/2006 - Matéria atualizada em 01/01/2006 às 00h00

| Folha Online Com agências internacionais Após inúmeras reclamações e acusações de fraude feitas por políticos seculares xiitas e sunitas, uma comissão internacional foi criada para analisar as eleições iraquianas ocorridas no último dia 15. O grupo será composto por membros da Liga Árabe, da Associação Canadense de ex-parlamentares e por um acadêmico europeu. Na quinta, grupos políticos sunitas anunciaram que não iriam participar do processo de formação de um novo governo, até que todas as denúncias de fraude - 1.500, no total - fossem esclarecidas. O anúncio da comissão contraria o discurso empregado pela Organização das Nações Unidas (ONU) e o governo dos Estados Unidos nos últimos dias, que têm creditado legitimidade ao pleito. Na última quarta-feira, o enviado da ONU ao Iraque Craig Jennes, afirmou que as eleições eram “válidas”. A decisão foi anunciada na quinta pela Missão Internacional para as Eleições Iraquianas e o objetivo da comissão é aplacar as reclamações sobre o processo eleitoral. De acordo com o comunicado oficial emitido na noite da quinta, e equipe deverá estudar “as reclamações pós-eleições, a participação dos eleitores e as auditorias pós-pleito realizadas pela Comissão Eleitoral Independente do Iraque”. Formado em dezembro de 2004, o grupo canadense tem trabalhado com monitores da União Européia (UE) para auxiliar na observação de processos eleitorais, especialmente no Oriente Médio. Membros da comissão eleitoral iraquiana têm defendido o trabalho da organização durante o pleito, e afirmam que observadores internacionais podem consultar a qualquer momento o trabalho desenvolvido. Entre as reclamações contra as eleições iraquianas, incluindo 50 que podem afetar os resultados em alguns distritos. A vitória dos partidos políticos xiitas ligados aos movimentos religiosos mais estritos no Iraque não deverá mudar, apesar disso. Resultados preliminares das eleições favorecem a Aliança Iraquiana Unida - o maior partido político xiita, de origem religiosa - mas apesar de ter ganho boa parte dos votos, os xiitas terão de fazer alianças políticas para governar. Políticos xiitas têm negociado o apoio de líderes curdos, e é possível que a nova coalizão do governo iraquiano já seja anunciada na próxima semana. A Frente de Acordo Iraquiana, maior partido político sunita e a Lista Iraquiana Nacional, partido xiita laico liderado pelo ex-primeiro-ministro Iyad Allawi receberam positivamente a decisão.

Mais matérias
desta edição