app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5735
Internacional

Ir� retoma pesquisa nuclear e irrita EUA

| GLOBO ONLINE Com agências internacionais Teerã - O Irã retomou as pesquisas com o combustível nuclear ontem, provocando duras críticas do ocidente. A agência nuclear da ONU disse que o trabalho vai envolver o enriquecimento de urânio em pequena esc

Por | Edição do dia 11/01/2006 - Matéria atualizada em 11/01/2006 às 00h00

| GLOBO ONLINE Com agências internacionais Teerã - O Irã retomou as pesquisas com o combustível nuclear ontem, provocando duras críticas do ocidente. A agência nuclear da ONU disse que o trabalho vai envolver o enriquecimento de urânio em pequena escala. “Os centros de pesquisa nuclear do Irã reiniciaram suas atividades”, disse Mohammad Saeedi, vice-chefe da Organização de Energia Atômica do Irã, à TV estatal. Ele negou, porém, que o país tenha a intenção de produzir combustível nuclear. “Há uma diferença entre pesquisar e produzir combustível nuclear. A produção ainda está suspensa”, afirmou Saeedi, numa entrevista coletiva. Os Estados Unidos disseram que qualquer tipo de enriquecimento de urânio pelo Irã seria um ‘sério agravante’. Um porta-voz da Casa Branca disse que o Irã corre o risco de ser submetido ao Conselho de Segurança da ONU se continuar no caminho atual. O secretário das Relações Exteriores britânico, Jack Straw, afirmou que o conflito com o Irã tem de ser resolvido por meios diplomáticos e não-militares. “A ação militar não faz parte de nossa agenda e não acredito, na prática, que esteja na agenda de ninguém”, disse Straw ao Parlamento. Mohamed ElBaradei, chefe da Agência Internacional de Energia Atômica, disse à diretoria do órgão que o Irã pretende realizar um enriquecimento limitado de urânio em sua usina de Natanz, onde os lacres foram rompidos diante dos olhos dos inspetores da ONU. Diplomatas europeus já disseram que gostariam que houvesse uma reunião de emergência da AIEA para analisar a submissão do Irã ao Conselho de Segurança da ONU. Os EUA disseram que a medida parece inevitável. “Se o regime no Irã continuar no caminho atual e não cumprir suas obrigações internacionais, não há outra escolha senão submeter a questão ao Conselho de Segurança”, disse o porta-voz da Casa Branca, Scott McClellan.

Mais matérias
desta edição