app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5730
Internacional

Rice insiste em negociar com o Ir�

| Folhapress Com agências internacionais A secretária de Estado dos EUA, Condoleezza Rice, disse ontem que será preciso começar “robustas” negociações com o Irã sobre seu controverso programa nuclear, enquanto a reunião de ministros das Relações Exteri

Por | Edição do dia 31/01/2006 - Matéria atualizada em 31/01/2006 às 00h00

| Folhapress Com agências internacionais A secretária de Estado dos EUA, Condoleezza Rice, disse ontem que será preciso começar “robustas” negociações com o Irã sobre seu controverso programa nuclear, enquanto a reunião de ministros das Relações Exteriores dos 25 países da União Européia para tentar resolver a crise pareceu terminar em fracasso. Rice afirmou que a comunidade internacional concorda que o Irã não deve ter os meios necessários para produzir armas nucleares e criticou Teerã por sua resposta à proposta russa de enriquecer urânio para o Irã em território russo, que poderia pôr fim ao impasse. “Acreditamos que ainda haja vida na via diplomática. Afinal, levar o caso ao Conselho de Segurança da ONU não significa pôr fim à diplomacia. Trata-se apenas de diplomacia num contexto diferente e mais robusto”, disse Rice. Ela fez suas declarações antes de entrar numa reunião com autoridades dos outros quatro países que são membros permanentes do Conselho de Segurança (o Reino Unido, a França, a Rússia e a China) e da Alemanha, na qual discutiria a possibilidade de levar o caso do Irã ao Conselho de Segurança da ONU. Decisão O Irã disse, em 10 de janeiro, que retomaria suas pesquisas com combustíveis nucleares em breve, após dois anos de suspensão desse processo. Teerã disse que suas pesquisas envolveriam apenas o “enriquecimento limitado de urânio”, mas a medida gerou o medo de que o Irã busque usar seu programa nuclear para produzir armas. Os ministros das Relações Exteriores dos países da UE se encontraram, em Bruxelas, com um negociador iraniano, visando pôr fim ao impasse, mas admitiram que a iniciativa não teve sucesso. A Venezuela, que fornece petróleo aos EUA, prometeu apoiar o Irã na disputa sobre seu programa nuclear com a comunidade internacional, segundo declaração de seu ministro de Minas e Energia, Rafael Ramírez.

Mais matérias
desta edição