app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Internacional

Europa formaliza pedido para levar Ir� ao CS da ONU

| Folhapress Com agências internacionais Alemanha, França e o Reino Unido apresentaram, ontem, ao Conselho de Governadores da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), ligada à Organização das Nações Unidas (ONU), uma resolução que envia o progr

Por | Edição do dia 02/02/2006 - Matéria atualizada em 02/02/2006 às 00h00

| Folhapress Com agências internacionais Alemanha, França e o Reino Unido apresentaram, ontem, ao Conselho de Governadores da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), ligada à Organização das Nações Unidas (ONU), uma resolução que envia o programa nuclear do Irã ao Conselho de Segurança (CS) das Nações Unidas. O texto, que deve ser avaliado hoje e conta com o apoio dos cinco membros permanentes do CS, pede ao diretor-geral da AIEA, Mohamed El Baradei, que notifique o órgão da ONU sobre os descumprimentos iranianos de resoluções da agência. O projeto de resolução destaca ainda que o Irã deve cumprir uma série de requerimentos para restabelecer a confiança perdida e esclarecer os assuntos pendentes na investigação de seu programa nuclear. O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, reafirmou ontem que seu país não abandonará seu programa nuclear e acusou o Ocidente de tratar o caso nuclear iraniano com uma mentalidade “medieval”. Ahmadinejad fez estas declarações na cidade de Bushehr, no sul do Irã, onde fica a usina nuclear do mesmo nome, após o discurso feito ontem à noite pelo presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, sobre o Estado da União, no qual fez um pedido à comunidade internacional para que não permita que o regime iraniano consiga armas nucleares. “erro histórico” O Irã disse que todas as acusações contra seu polêmico programa nuclear são falsas e pediu que o mundo não cometa “um erro histórico” ao levar o caso ao CS da ONU. O embaixador do Irã na AIEA, Ali Asghar Soltanieh, anunciou em Viena à imprensa que se o dossiê iraniano for enviado ao CS, Teerã interromperá sua cooperação voluntária com a agência e dará início à produção industrial de urânio enriquecido. Esse material serve tanto para produzir combustível nuclear em usinas energéticas como para a fabricação de bombas atômicas. Pouco antes do anúncio europeu contra o Irã ontem, os EUA disseram que levar o programa nuclear do país ao CS é uma “questão de credibilidade” para a AIEA. O embaixador dos EUA na agência atômica, Gregory Schulte, disse ter recebido informações da AIEA sobre novos aspectos que chamou de “inquietantes” sobre o programa nuclear iraniano, que indicariam a existência de “dimensão militar’. “Inclui a fabricação de compostos de armas nucleares e os desenhos para mísseis”, disse o embaixador.

Mais matérias
desta edição