app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5731
Internacional

Casa Branca foi advertida sobre Katrina

| AGÊNCIA O GLOBO Com agências internacionais Na noite em que Katrina começou a açoitar Nova Orleans, o governo americano já sabia que os diques não agüentariam. Mas no dia seguinte, 30 de agosto, uma terça-feira, o primeiro escalão do governo disse ao

Por | Edição do dia 12/02/2006 - Matéria atualizada em 12/02/2006 às 00h00

| AGÊNCIA O GLOBO Com agências internacionais Na noite em que Katrina começou a açoitar Nova Orleans, o governo americano já sabia que os diques não agüentariam. Mas no dia seguinte, 30 de agosto, uma terça-feira, o primeiro escalão do governo disse ao povo americano que foi surpreendido pelo fenômeno. A revelação é de senadores democratas que investigam as responsabilidades do governo federal e também do estado e da cidade na administração da emergência provocada pelo furacão. Foram mais de 30 oportunidades de alerta, mas o governo nada fez, segundo os senadores. O Katrina atingiu Nova Orleans na noite de domingo, dia 28, originário da Flórida, ganhando força no dia seguinte. Os relatos sobre os diques rompidos foram despachados na segunda-feira pela manhã, mas somente quase 24 horas depois o governo Bush começou a reconhecer a gravidade da tragédia. “Não acho que alguém antecipou o rompimento dos diques”, disse então Bush. Segundo o Times, o primeiro testemunho veio de Marty Bahamonde, funcionário da Agência Federal de Administração de Emergência (Fema), que, depois de ter sobrevoado a cidade de helicóptero e confirmado a inundação, informou à sede, em Washington, que, por sua vez, notificou o Departamento de Segurança Interna. O próprio Michael D. Brown, então diretor da agência federal encarregada de administração de emergências, afirmou ao jornal New York Times, em sua edição de sexta-feira, que pessoalmente avisou a Casa Branca ainda na noite de segunda-feira sobre a dimensão da tragédia.

Mais matérias
desta edição