app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5735
Internacional

Morrem mais 15 iraquianos em guerra que j� vitimou 450

| Folha Online Com agências internacionais Ao menos 15 pessoas morreram em três explosões e um ataque a tiros, envolvendo seguranças de um líder sunita do Parlamento, ocorridos ontem no Iraque, segundo o Ministério iraquiano do Interior. Com as novas m

Por | Edição do dia 03/03/2006 - Matéria atualizada em 03/03/2006 às 00h00

| Folha Online Com agências internacionais Ao menos 15 pessoas morreram em três explosões e um ataque a tiros, envolvendo seguranças de um líder sunita do Parlamento, ocorridos ontem no Iraque, segundo o Ministério iraquiano do Interior. Com as novas mortes, o número de vítimas da onda de violência sectária no país - que teve início no dia 22 de fevereiro, após o ataque contra um importante santuário xiita ao norte de Bagdá - já ultrapassa 450. Na última quarta-feira, 32 pessoas morreram e outras 79 ficaram feridas em diversos ataques no país - 23 delas na explosão de um carro-bomba em Al Jadida, localidade que mistura população xiita e sunita, em Bagdá. No atentado desta quinta-feira, uma bomba explodiu dentro de um microônibus na região xiita de Sadr City, matando cinco pessoas e ferindo outras dez. Uma segunda bomba explodiu em um mercado movimentado no bairro de Zafaraniyah (sul de Bagdá), matando oito pessoas e ferindo 14. Uma terceira explosão atingiu um comboio do Ministério do Interior - administrado por xiitas-- na região sunita de Amariyah, a oeste de Bagdá, matando um funcionário do governo. Homens armados atacaram o veículo de Adnan al Dulaimi, líder sunita no Parlamento iraquiano, matando um guarda-costas e ferindo outros cinco. Al Dulaimi não estava no veículo no momento do ataque, segundo Iassir al Obeidi, porta-voz do Partido Popular do Iraque. O parlamentar minimizou o episódio. “Esse incidente não deve ser motivo de alarme. O Iraque é maior que Adnan e seus guarda-costas”, afirmou Al Dulaimi à rede de TV árabe Al Jazeera. Confrontos entre sunitas e xiitas tiveram início após o ataque contra um importante santuário xiita em Samarra, ao norte de Bagdá, na quarta-feira (22). A violência se acirrou depois que xiitas desencadearam uma onda de ataques contra mesquitas sunitas.

Mais matérias
desta edição