app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5714
Internacional

Opera��o resgate em Medell�n deixa oito mortos e 26 feridos

Bogotá – Os combates que desde a madrugada de ontem acontecem entre os milicianos das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e do ELN com a polícia num bairro central de Medellín deixaram  pelo menos oito mortos e 26 feridos entre civis, mili

Por | Edição do dia 22/05/2002 - Matéria atualizada em 22/05/2002 às 00h00

Bogotá – Os combates que desde a madrugada de ontem acontecem entre os milicianos das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e do ELN com a polícia num bairro central de Medellín deixaram  pelo menos oito mortos e 26 feridos entre civis, militares, policiais e guerrilheiros. O general Fernando Tapias, comandante das Forças Militares, confirmou os números, acrescentando que houve 28 capturados. Tropas do Exército, da Polícia e do serviço secreto (DAS) irromperam às 3 horas locais, num bairro de Medellín, sendo recebidas a tiros por milícias das duas facções guerrilheiras. Durante o confronto, foram resgatados 39 pessoas seqüestradas horas antes pela guerrilha. Na operação para libertação dos reféns entrou em ação a 4ª Brigada e um comando anti-seqüestro do Exército, com o apoio de helicópteros da Força Aérea Colombiana (FAC). Segundo o Exército da Colômbia, o plano já deu seus primeiros resultados. No início de abril passado, em uma região do norte da Colômbia, quando uma patrulha inspecionava o caminho de acesso a torres de energia, um pedaço de carne atirado na metade do caminho levou um cão especializado na detecção de explosivos a se distrair de seu trabalho e correr em busca do alimento. Em poucos segundos, uma mina explodiu e matou o labrador e o seu guia, um técnico anti-explosivo, segundo o Exército. As Farc oferecem uma recompensa equivalente a US$ 4.300 por cada técnico especializado na detecção de explosivos que for assassinado e US$ 430 pela morte de cães que sirvam ao mesmo fim, segundo um informe de inteligência citado pelo jornal El Tiempo, de Bogotá.

Mais matérias
desta edição