app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5712
James Silver

Confira os destaques do colunista nesta edição - 16/12/2022

[email protected]

Por James Silver | Edição do dia 16/12/2022 - Matéria atualizada em 16/12/2022 às 04h00

POUCOS&BONS

THAYSA ALMEIDA (na foto com as arquitetas CREUZA LIPPO+SANDRA LEAHY e HUMBERTA FARIAS) armou almoço no Lopana para brindar o dia da categoria. O evento - montado em nome da SCA, Sierra e Tempori) foi prestigiado por bambambãs da área e neo talentos. E as fotos que ilustram a coluna de hoje falam do sucesso que foi o pétit comitê.

 

Foto: SILVERLAND CLICKS
     
A anfitriã com o renomado arquiteto ALAN GAIA
A anfitriã com o renomado arquiteto ALAN GAIA - Foto: SILVERLAND CLICKS
  


PIPOCA

O cinema Caeté está em cena, e numa das maiores do mundo! O curta-metragem “Infantaria”, dirigido pela alagoana Laís Santos Araújo, foi qualificado para disputar uma vaga no Oscar 2023. 

A obra, gravada na Barra de São Miguel, financiada pela Lei Aldir Blanc, foi qualificado após vencer o Grande Prêmio do 32ª Festival Internacional de Curtas do Rio. Agora é fazer figa.

 

TAINAH GAIA entre as convidadas do almoço no Lopana
TAINAH GAIA entre as convidadas do almoço no Lopana - Foto: SILVERLAND CLICKS
     
ROSSANA MONTEIRO com THAYSA ALMEIDA - leia-se SCA, Sierra Móveis e Tempori Planejados
ROSSANA MONTEIRO com THAYSA ALMEIDA - leia-se SCA, Sierra Móveis e Tempori Planejados - Foto: SILVERLAND CLICKS
     
Com a arquiteta AMANDA SÁTIRO
Com a arquiteta AMANDA SÁTIRO - Foto: SILVERLAND CLICKS
  


DU SOLEIL’

A Secult continua apostando no Festival Pôr do Sol Cultural para as tardes de verão. Neste weekend serão feitas apresentações artísticas a granel ao lado da Associação Comercial, no Jaraguá.

No sábado, a partir das 18h, o público poderá apreciar a apresentação do Coco de Roda Evolução e do Grupo Thembá. Já no domingo, às 16h, apresentam-se os grupos culturais Mutum Orquestra Coco Alagoano, o Coco de Roda Paixão Nordestina e a banda Artehfato, encerrando a noite com um repertório especial.

 

TAYNAH FEIJÓ também recebeu um abraço da anfitriã
TAYNAH FEIJÓ também recebeu um abraço da anfitriã - Foto: SILVERLAND CLICKS
  


FAX... FAX

Hoje tem bolo+guaraná para Léo Palmeira, Claudia Cunha, Toninho Jucá e Caetano Ximenes…


ONG Todas Para o Mar recebe financiamento da Web3 para manter atividades…


Ana Loureiro de olho no Natal do Boticário, que tem mais de 30 opções de kits com cartão digital personalizável…


Misa Acústico recebe Elvira Rebelo nesta sexta, no Jaraguá…


A última apresentação do projeto ocorre no Museu da Imagem e do Som de Alagoas, a partir das 21h.



PING PONG

Quem?

RAMONA ZANON, diretora da Artesana - colaborativo de artesãs na Rota Ecológica dos Milagres

 

Foto: SILVERLAND CLICKS
  

A marca comemora seu primeiro aniversário este mês…

Sim, despertamos no Grupo Tamo Junto a necessidade de reconhecer o quão incrível e minucioso é o trabalho realizado pelas mãos femininas. A propósito, com exceção das joias, banhadas a ouro e prata, e dos bonés, o trabalho manual é o personagem principal de todas as peças, seja nas roupas, nos bordados, nas bolsas, nas almofadas e nos artigos de cerâmica. 


As inspirações vêm… do ambiente natural, da água cristalina, a areia branquinha e o magnetismo do lugar, traduzidos em acessórios únicos, que encantam pela delicadeza e simplicidade. 


Artesana dá vazão ao protagonismo feminino?

O ateliê tem como alicerce garantir que os holofotes sejam totalmente das mulheres responsáveis por imprimir um pouco de suas histórias e sabedorias nas peças da marca.


E a parceria com a BordAzul?

Decidimos unir forças, uma colaboração que faz total sentido, afinal, tudo volta para onde começou: as mulheres. Um trabalho muito gratificante, que contribui difundindo e potencializando diferentes formas de expressão, valorizando as histórias, as autorias, a identidade cultural, o fazer com significado.


Quem atua como mediadora e coordenadora do grupo de bordadeiras?

Gianinna Schaeffer Bernardes, a Ninna, coordena o grupo formado por mulheres que têm histórias de vida marcadas pela vulnerabilidade social e restrita escolaridade, que passaram a produzir peças para comercialização e geração de renda.

Mais matérias
desta edição