app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
José Elias

Confira os destaques da política alagoana #JE01052021

.

Por JOSÉ ELIAS | Edição do dia 04/05/2021 - Matéria atualizada em 03/05/2021 às 22h19

COLLOR VÊ ESTRATÉGIAS E SE MANTEM FIRME NA REELEIÇÃO

Posições firmes em Brasília, Fernando Collor joga bem no xadrez político de Alagoas para o voto de 2022. Disputa a bola, na defesa, nas questões nacionais e, vez em quando, chuta de longe contra a trave dos adversários. Não falha nas atitudes com relação aos compromissos assumidos, mas deixa claro que, no confronto do próximo ano, a reeleição é sua meta. Senador prefere mergulhar no debate da campanha lá na frente, preferindo estudar estratégias disponíveis. Por enquanto, não acena para formação de grupos nem para montagem de palanque. Uma peça que não pode ser subestimada na corrida por espaço no calor das ruas porque, na sua biografia, prova que, no abraço, cheiro do povo garante o futuro. Collor reitera nos discursos para multidões não ter medo de desafios e já ultrapassou muitos deles. Saiu candidato a governador numa situação teoricamente desfavorável e, contados os votos, venceu Suruagy e Guilherme. Para presidente da República, num quadro adverso, ganhou de Lula que, na época, era a estrela eleitoral do país, considerado imbatível.


BOLSONARO QUER JOGAR FORTE NO VOTO DE ALAGOAS

Política majoritária não deve ser exercitada com divergências localizadas, em ataques a varejo. A história recomenda que personagens da disputa de cargos maiores sempre tiveram sucesso longe dos fuxicos e das questiúnculas. Não podem ficar no campo do bate-boca de ponta de rua, trocando desaforos com adversários nas esquinas e ponto de ônibus. Presidente marcou visita de campanha para conhecer de perto, ao vivo, seu poder de investimento eleitoral em Alagoas. Precisa conhecer primeiro, ensinamentos da experiência que, ao longo dos anos, adverte contra ultrapassagem de limites. Pressa e ataques não combinam com o voto e, na liturgia da urna, não podem chegar antes ou depois da hora marcada. A confiança em aliados – na alegria e na tristeza – virou a chave que abre a porta do resultado favorável. Arthur Lira e Fernando Collor conhecem o caminho e sabem onde pisam em terras nativas. Se acompanhar a orientação dos dois, Bolsonaro avistará a estrada onde deseja caminhar para colher os frutos cujas árvores são plantadas por aliados agora.


JHC APAGA IMAGEM NEGATIVA QUE OPOSIÇÃO QUER EMPLACAR

Aos poucos, teoria vem se transformando em prática e as ruas formam novo conceito do prefeito de Maceió. Resultado do debate na televisão cujo povo, que não acredita mais em promessa de campanha, desfez o desenho que riscou na cabeça. A ideia de que JHC é um político de Parlamento deixa esse contexto e passa às ações produtivas no Executivo. Botou em campo um time que, a princípio, recebeu desconfiança técnica e política da opinião pública. Mas três meses de mandato, com todas as dificuldades, bota a cabeça de fora, aparecendo através das atitudes. Com poucos recursos, mas com muita força de vontade, já atingiu índices que muita gente apostava ser possível num momento de crise radical. Montou equipe que, como ele, acredita e compra a briga para enfrentar destroços sociais. E começa a revelar nomes que, na galeria dos administradores bem sucedidos, preparam retratos à parede dos famosos. Por exemplo, Moura na Saúde, o versátil Ricardinho Santa Rita, Francisco Sales que joga nas 11 e Lininho Novaes, que cuida da imagem de JHC.

Mais matérias
desta edição