app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5691
José Elias

Confira os destaques da política alagoana #JE15062021

.

Por JOSÉ ELIAS | Edição do dia 15/06/2021 - Matéria atualizada em 15/06/2021 às 04h00

NA POLÍTICA, NÃO SE SALTA DE PARAQUEDAS SEM EXPERIÊNCIA

Candidatura majoritária tem alguns segredos que os principiantes desconhecem por falta de experiência. Brincadeira tem hora, como diz a letra do samba de Zeca Pagodinho, hoje o maior representante do pagode no país. Se não souber aliar alguns ingredientes da política, como montar um grupo político, que garanta respaldo à mesa de discussão, vai dançar. Não se pode saltar do paraquedas sem saber ligar o botão que abre as asas e assegura um pouso seguro. Lançamento à sucessão estadual – debate em todos os lugares – exige cuidados elementares para se conseguir sucesso logo no início. Sem profissionalismo, projeto desenhado para a campanha, só tendo muita sorte para construir uma história. Ronaldo Lessa penou para emplacar seu nome depois de conquistar, na Justiça, vaga de vereador. Na outra eleição, ganhou a disputa de prefeito de Maceió, renovou mandato, chegou ao governo e também repetiu a dose. Teotonio Vilela venceu João Lyra, que até hoje contesta o resultado, e decidiu sair da política, mas pode voltar por imposição dos amigos.


GRUPOS POLÍTICOS JÁ PROJETAM FUTURAS ELEIÇÕES EM ALAGOAS

Eles brigam, trocam desaforos, apontam erros uns dos outros mas, na hora do pega pra capar, estão juntos. Ninguém está pra peixe até as vésperas das eleições, onde entram em jogo os interesses de cada um, colocados numa balança que mede a temperatura do voto. Aí, os defeitos viram virtudes, farinha se mistura com pimenta e chutam a bola pra frente. Os sabidos se fazem de mortos para enganar a falta de habilidade de muita gente que cai na malandragem dos espertos. Enquanto a mesa não for montada para discutir 2022, profissionais projetam futuras disputas em Alagoas. Por exemplo, nomes que podem ser candidatos a prefeito de Maceió, Arapiraca e Palmeira dos Índios desfilam nas listas internas. Renan Filho e JHC foram preparados no laboratório para o campeonato majoritário, desenhado por antecedência. No embalo de Collor presidente da República, Moacir Andrade, que nunca pensou em chegar ao Palácio, recebeu a faixa como vice. Manoel Gomes de Barros ocupou a cadeira do pai na Assembleia Legislativa e como substituto de Suruagy.


ARTHUR LIRA COMEÇA FAZER CHAPAS PARA A ELEIÇÃO 2022

Mapa do voto em cima da mesa, linha direta com o Estado, Arthur Lira inicia preliminar da disputa do ano que vem. Pelo telefone, sua assessoria não se desliga das lideranças, alimentando o papo de pé de ouvido. Conversa com deputados, contato permanente com os prefeitos, sustenta o tom do discurso com os vereadores, base de estruturação das candidaturas. Costura o elenco que concorrerá à Assembleia Legislativa, cuida da formação do time a Câmara Federal. Próximo das bancadas em Brasília, trata pessoalmente das articulações no comando de um poder nacional. Lá dentro, no seu gabinete, ninguém especula candidatos, mas analistas calculam que saiam de sua tribo nomes expressivos da política de Alagoas. Arthur é sabido, sabe se articular, agora com muita força, terá de usar a paciência e a sabedoria para montar o quadro majoritário. Do coração, nome é o da deputada Jó Pereira, que encabeça a lista de prioridades na disputa ao governo. E JHC se tiver forte no momento certo? Marcelo Victor e Davi Davino, até prova em contrário, fazem parte do seu grupo.

Mais matérias
desta edição