Nº 0
Mercado Alagoas

Confira os destaques da economia alagoana #MA31012020

.

Por Edivaldo Junior | Edição do dia 31/01/2020 - Matéria atualizada em 30/01/2020 às 22h39

Fora do jogo

Maurício Quintella está, definitivamente, decidido a não disputar as eleições deste ano em Maceió. O ex-deputado federal e atual secretário da Infraestrutura do Estado afasta qualquer possibilidade de disputar a prefeitura, como chegou a ser especulado. “Saí de uma eleição majoritária e agora quero me dedicar à Seinfra. Só devo disputar um novo mandato em 2022”, aponta.


No bloco

O PL (antigo PR), avisa Quintella, deve marchar com o candidato do governo em Maceió, mas terá candidatos próprios no interior, incluindo ‘grandes’ cidades. “Estou trabalhando junto com o Sérgio Toledo (deputado federal do PL) para trazer vários nomes, incluindo prefeitos de mandato. Mas não posso revelar agora, para evitar a pressão”, afirmou.


Edital

O foco de Maurício Quintella agora é a ‘privatização’ da Casal. Ele avalia que o edital para a concessão do serviço de saneamento na Grade Maceió (13 cidades, o equivalente a 43% da população de Alagoas) será lançado na primeira semana de fevereiro.


Critérios

Segundo o secretário, o edital será a primeira grande concessão do Brasil este ano. Os grupos interessados em participar deverão garantir investimentos da ordem de R$ 2,5 bilhões em até dez anos. Vence, avisa Quintella, quem der o maior valor pelo ‘pagamento’ da água à Casal.


Na bolsa

O leilão da concessão será na Bolsa de Valores de São Paulo e deve ocorrer 90 dias após o edital. “A Casal continuará operando e, com a remuneração da água (que receberá após a licitação), terá condições para manter sua estrutura e para investir em saneamento no interior”, aponta.


Pendura

Em dezembro, houve elevação de 2,5% no número de endividados em Maceió, aponta a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC) do Instituto Fecomércio AL/CNC. Agora, o total de consumidores com dívidas é de 199 mil; em novembro, eram 194 mil.


Balanço

Se, por um lado, o endividamento aumentou, a pesquisa indica redução de 2,7% no atraso nos pagamentos (82 mil ante 84 mil) e de 4,44% na inadimplência (51 mil ante 53 mil). Na análise do assessor econômico da Fecomércio AL, Felippe Rocha, os números demonstram que a alta do endividamento foi puxada pela aquisição de bens e serviços e para evitar a rolagem de dívidas.


Municípios

O terceiro decêndio de janeiro do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) foi depositado na última quinta-feira, 30 de janeiro, nos cofres das prefeituras. O valor total soma R$ 3.111.421.606,81, já descontada a parcela de retenção do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Considerando a inflação, o montante de todo o mês é 12,44% menor do que o mesmo período de 2019.


FPM

Do total repassado para os municípios, os de coeficientes 0,6, que representam a maioria – 44,07% ou 2.454 –, vão repartir R$ 770.340.312,79, o equivalente a 19,81% do repasse deste decêndio. Vale destacar que coeficientes de mesmo número recebem quantias diferentes de acordo com o Estado, uma vez que cada um tem um valor de participação no Fundo.


Clandestino

Em operação conjunta com a PM, a Secretaria de Estado da Fazenda, por meio da Central de Operações Estratégicas (COE), recuperou R$ 200.000,00 de ICMS em mercadorias sem nota fiscal, na madrugada dessa quinta-feira (30). Os produtos estavam sendo transportados em um caminhão interceptado em Arapiraca, que seguia para um depósito clandestino na cidade.


Identificando

De acordo com o superintendente da Receita Estadual, Francisco Suruagy, a PM identificou a carga irregular e comunicou à Sefaz. Os órgãos foram até o local de destino e constataram a falta de inscrição estadual e ausência de notas fiscais dos produtos apresentados. “Esse tipo de abordagem faz parte das nossas fiscalizações, que combatem a concorrência desleal, por meio dos volantes fazendários espalhados por Alagoas”, destaca.

Mais matérias
desta edição