Nº 0
Mercado Alagoas

Confira os destaques da economia alagoana #MA04022020

.

Por Edivaldo Junior | Edição do dia 04/02/2020 - Matéria atualizada em 03/02/2020 às 22h13

Tlim, tlim

Após fechar dezembro de 2019 com um recorde histórico na receita de ICMS do Estado (R$ 498 milhões), a Secretaria da Fazenda de Alagoas, conseguiu, pela segunda vez consecutiva (e na história) uma arrecadação acima dos R$ 400 milhões.


No cofre

De acordo com dados preliminares, a receita de ICMS de Alagoas em janeiro deste ano chegou a R$ 412.706.472,42, em crescimento de 6,74% com os R$ 386.639.083,87 arrecadados em igual mês do ano anterior.


Geral

O forte crescimento da receita de dezembro é resultado principalmente de um pagamento ‘alto’ de um contribuinte do setor de óleo e gás que beneficiou, além de Alagoas, outros estados da federação, segundo informações da Sefaz.


Avaliação

O secretário da Fazenda de Alagoas, George Santoro fez uma avaliação do desempenho da receita de ICMS no mês passado. “Foi muito bom. Foi quase 7%. Cresceu muito bem em todos os seguimentos econômicos. Apenas tivemos uma pequena queda no setor de alimentos. Nos demais seguiram o crescimento”, aponta.


Encontro

A Associação dos Plantadores de Cana de Alagoas (Asplana) recebeu, nessa segunda-feira, 03, a visita de cortesia do novo secretário de Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura de Alagoas, João Lessa. Na oportunidade, o presidente da associação, Edgar Filho, acompanhado de fornecedores de cana-de-açúcar, apresentou o atual panorama vivido pela Asplana, visando futuras parcerias entre o órgão e a secretaria.


Apoio

“Apresentamos nossas pautas e o desejo em firmar uma parceria junto com o Estado. Nós, do setor produtivo de cana-de-açúcar em Alagoas, carregamos uma grande representatividade e nada mais justo do que sermos ouvidos pelos entes responsáveis pela nossa categoria”, afirmou Edgar Filho.


Qualidade Leiteira

Continuando o trabalho de formação e atualização dos produtores de leite, a Cooperativa de Produção Leiteira de Alagoas (CPLA) vem realizando reuniões nos municípios que fazem parte da bacia leiteira do Estado, visando instruir os agricultores sobre a importância do conhecimento das boas técnicas agropecuárias para adquirir qualidade na obtenção do leite. Durante esses encontros, são abordados os principais pontos da Instrução Normativa nº 77 do Ministério da Agricultura, que trata do regimento da qualidade do leite no país.


Formação

Na última quinta-feira, 30, dez produtores da Associação Lagoa Queimada, localizada no município de Quebrangulo, participaram de uma das formações, ministrada pelo zootecnista da CPLA, Davi Francisco. De acordo com o profissional, esses momentos de qualificação são importantes para que os agricultores obtenham um produto final de melhor qualidade, garantindo rentabilidade em suas produções e o crescimento dos negócios.


Solar

Depois de ter anunciado há menos de um ano a instalação de uma nova linha de produtos em Alagoas, o Grupo Solar confirmou, na quinta-feira, 30, mais um investimento de R$ 25 milhões e ampliação da sua produção no Estado. O comunicado foi feito durante reunião entre o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Rafael Brito, e o gerente de Relações Governamentais, Arthur Ferraz.


Mix

A empresa, que conta com incentivos fiscais do Prodesin, inclui em sua linha de produção, água, refrigerantes e chás gelados e energéticos. Com a nova linha, o Grupo Solar amplia aplicação em mais de R$ 65 milhões nos últimos seis meses, e geração de 1.700 empregos diretos.


Inovando

Com os novos investimentos, além de a fábrica em Alagoas ser a única do Norte-Nordeste a produzir todos os produtos da linha do Grupo Solar, ela é também a primeira indústria de energéticos da região. “Com a produção do produto Monster, nos tornamos o principal polo produtor dos produtos Coca-Cola e a primeira indústria de energético das regiões Norte e Nordeste”, afirma o secretário do Desenvolvimento Econômico e Turismo.


ATR

A curva de crescimento do ATR em Alagoas segue a pleno vapor. No primeiro mês de 2020, o preço líquido chegou a R$ 0,7454, o que corresponde a um aumento de 6,9% em comparação a dezembro, quando o valor foi de R$ 0,6972. “Essa retomada de preço foi uma notícia muito boa para nós que estamos preocupados com essa questão de estiagem. Ele foi reflexo principalmente do aumento do preço do açúcar, tanto no mercado mundial, quanto no mercado interno”, declarou o presidente do Conselho de Produtores de Cana-de-açúcar e Etanol dos Estados de Alagoas e Sergipe (Consecana-AL/SE) e da Asplana, Edgar Filho.


ATR 2

Com exceção do açúcar VHP exportado para o mercado americano, que permaneceu praticamente com o mesmo valor de dezembro (R$ 119,14), os demais açúcares tiveram alta de preço. O saco cristal passou de R$ 68,90 para R$ 76,65 e o do VHP mercado mundial de R$ 55,59 para R$ 57,17. Já o etanol também acumulou alta de preço em janeiro. O metro cúbico do hidratado subiu de R$ 1.948,58 para R$ 2.266,71 e o anidro de R$ 2.180,65 para R$ 2.321,33.


ATR 3

A média mês dos produtos que fazem parte do mix da ATR em Alagoas foi de R$ 1,2614 com um preço médio acumulado de um quilo de ATR nos produtos de R$ 1,1791.Segundo o Consecana, com base nos dados do CEPEA/ESALQ/USP, o valor líquido da cana padrão, que corresponde a 114,09 kg de ATR/tonelada cana, acompanhou a recuperação de preço e subiu de R$ 79,5435 para R$ 85,0427 com acumulado de R$ 79,5093.

Mais matérias
desta edição