Nº 0
Mercado Alagoas

Confira os destaques da economia alagoana #MA26032020

.

Por Edivaldo Junior | Edição do dia 26/03/2020 - Matéria atualizada em 25/03/2020 às 22h05

Engajamento

O presidente do Sindaçúcar-AL, Pedro Robério Nogueira, declarou que o setor está atento aos efeitos da pandemia na atividade econômica produtiva canavieira. “Estamos engajados em todas as demandas nacionais capitaneadas pela CNI e o Fórum Nacional Sucroenergético nas medidas para o setor no aspecto fiscal, como a desoneração do PIS/Cofins para o etanol e financiamento também para o biocombustível”, destacou.


Compromisso

O presidente da Asplana, Edgar Filho, afirmou que o País passa por um momento de incertezas, mas defende que o campo não pode parar. “Produzimos alimentos para a população. Então, temos que continuar trabalhando com responsabilidade, utilizando EPI, obedecendo às recomendações de prevenção ao vírus. Temos preocupação, mas também temos otimismo que tudo isso vai passar”, declarou.


Segurança

Para o presidente da Faeal, Álvaro Almeida, no momento em que o Brasil se une contra o coronavírus, o setor agropecuário reforça o compromisso com a saúde dos brasileiros. “Em Alagoas, não é diferente. Nossos produtores estão no campo e o que pedimos é que todos tomem as precauções necessárias contra a doença”, afirmou.


Não pode parar

Almeida reforça que a produção agropecuária deve continuar: “A falta de alimento ou a irregularidade no abastecimento aprofundará a crise sem precedentes na nossa saúde pública. Neste sentido, a Faeal, CNA e as federações de agricultura de todo o Brasil trabalham para que o produtor rural possa produzir com segurança, fazendo com que o alimento não falte na mesa dos brasileiros”.


Atividade...

O momento, aponta o presidente da Associação dos Criadores de Alagoas, é de preocupação “como em todos os setores da economia. O agronegócio não é diferente, mas tem algumas particularidades. Precisamos escoar essa produção, que em muitos casos precisa ser escoada todos os dias, a exemplo da cadeia produtiva do leite. Precisamos também de insumos para continuar a atividade.”


...diária

Domício Silva reforça que “as precauções estão sendo tomadas, seja nas propriedades rurais ou nas indústrias que lidam com as matérias-primas, mas é importante destacar que a gente precisa continuar com a economia funcionando, tendo acesso a esses insumos, e chegar com essa comida na mesa do consumidor. Entendemos as medidas como necessárias, mas temos que pesar a questão sanitária com a questão econômica, até porque milhares de famílias dependem também destas atividades”.


Esforço

Diante do aumento da procura por álcool como forma de prevenção ao coronavírus, o presidente da Cooperativa Pindorama, Klécio Santos, declarou que a produção na unidade industrial quadruplicou, com a operação funcionando em três turnos. O esforço tem sido realizado para atender, além do consumo da população, à demanda emergencial de hospitais e do poder público para as ações de combate à pandemia.


Reforço

Segundo Klécio Santos, por conta da falta da substância química usada na fabricação do álcool em gel, o carbopol - que é importada da china e que não tem mais no Brasil -, a cooperativa concentrou os esforços para a produção de álcool 70, que vem sendo disponibilizado em embalagens de um litro ou em cinco litros.


Demanda

“A procura é crescente, mas existe álcool suficiente para que possamos trabalhar tranquilamente. A nossa prioridade é Alagoas. Todos os supermercados de Maceió, que são clientes nossos, estão sendo abastecidos, apesar de a demanda ser muito grande. Não precisa haver desespero. Tem álcool para o consumo”, declarou o presidente de Pindorama.


Só uma vaga

O PDT parece ter se tornado pequeno para dois engenheiros - dois ex-prefeitos de Maceió – que querem voltar a comandar a prefeitura da capital. Ronaldo Lessa e Corintho Campelo são pré-candidatos à prefeitura. Mas só tem vaga para um.

Mais matérias
desta edição