app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Mercado Alagoas

Confira os destaques da economia alagoana #MA04072020

.

Por Edivaldo Junior | Edição do dia 04/07/2020 - Matéria atualizada em 03/07/2020 às 21h36

Adiando

A expectativa era que, a partir desta semana, o número de voos diários para Alagoas aumentasse de 2 para 9, dando início à retomada das operações das principais companhias para o Estado. Era. Como a flexibilização da economia demorou mais que o previsto, as companhias aéreas não confirmaram as previsões.


Gradual

A previsão da Sedetur-AL foi revista. Agora, a estimativa é que até a próxima semana, Alagoas tenha 5 voos diários. Algumas rotas, a exemplo BSB-MCZ, podem ter voos apenas a cada dois dias. Mas só pelas próximas semanas. Na medida em que comércio e serviços forem sendo reabertos em Alagoas, o número de voos para a capital alagoana também deve aumentar gradativamente.


Mantido

A boa notícia é que as empresas aéreas mantêm planos para a retomada dos voos para Alagoas, com possibilidade de retorno à normalidade a partir de setembro ou outubro. Novos voos que já estavam programados para começar no período da pandemia, apesar do adiamento, não foram cancelados.


Lisboa

Em videoconferência nessa quinta-feira (02), o presidente-executivo da TAP Linhas Aéreas, Antonoaldo Neves, confirmou manutenção do voo Lisboa (PT) – Maceió (AL). Com três frequências semanais, a operação estava prevista para começar em junho deste ano, mas teve que ser suspensa por causa da pandemia do novo coronavírus.


O que falta?

A única pendência, no momento, para que o voo da TAP entre Maceió e Lisboa comece a operar é que seja suspensa essa barreira para a entrada de turistas brasileiros na Europa. Não há previsão para que isso aconteça, mas não deve passar também de setembro ou outubro.


Ampliando

A expectativa do governo é ampliar o número de municípios alagoanos na faixa laranja, dentro do plano de Distanciamento Social Controlado. Hoje, apenas Maceió está nesta fase, que permite o funcionamento de igrejas, comércio de rua, salões de beleza e barbearias. Mas isso só deve acontecer a partir do próximo dia 15.


Evolução

O secretário de Saúde, Alexandre Ayres, avalia que o interior do Estado ainda “requer mais atenção” do que Maceió, mas a tendência é de contágio menos agressivo do que se verificou na capital. E se o número de casos se estabilizar ou cair na próxima semana, ele avalia que será possível recomendar o avanço de todo o interior ou de algumas regiões para a fase amarela.


Sem alteração

A recomendação, no entanto, é que tudo fique como está hoje até 14 de julho. Maceió na fase laranja e Alagoas na vermelha. Se tudo correr como esperado, o avanço pode ser simultâneo, um “degrau” para cada região, com Maceió migrando para a fase amarela e Alagoas para a laranja. Tudo dependerá dos próximos dias. Uma “involução” também não está descartada.

Comemoração

Referência absoluta quando o assunto é cooperativismo, o presidente da Cooperativa Pindorama, Klécio Santos, comemora, nesta segunda-feira, dia 06 de julho, mais um aniversário ao lado de amigos e familiares.


Expediente

Com um horário especial de funcionamento durante o período da pandemia da Covid - 19, com o expediente das 08h às 12h, a Cooperativa dos Plantadores de Cana de Alagoas (Coplan) mantém os serviços prestados aos fornecedores de cana do Estado.


Recadastramento

A Secretaria de Agricultura do Estado iniciou o recadastramento das entidades participantes e de todas as unidades recebedoras do Programa do Leite. Os documentos necessários constam na portaria 137/2020. O prazo para a entrega se encerra no próximo dia 11. Mais informações poderem ser obtidas no próprio site da secretária.


Etanol

O presidente do Sindicato da Indústria do Açúcar e do Álcool no Estado de Alagoas (Sindaçúcar-AL), Pedro Robério Nogueira de Melo, comemora o sucesso da campanha ‘Abasteça com Etanol’. Criada pela entidade como uma forma de incentivar o abastecimento consciente do biocombustível em Alagoas, a mobilização reuniu parceiros das esferas públicas e privada unidos em defesa do etanol.

Mais matérias
desta edição