app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Mercado Alagoas

Confira os destaques da economia alagoana #MA22072020

.

Por Edivaldo Junior | Edição do dia 22/07/2020 - Matéria atualizada em 21/07/2020 às 22h46

Sem mobilidade

O transporte público se tornou num dos maiores desafios dentro do plano de distanciamento social controlado do Estado. Com três fases diferentes simultaneamente (vermelha, laranja e amarela), como autorizar, por exemplo, o transporte complementar, entre cidades que estão em cada uma destas etapas?


Retorno

A pressão pela volta do transporte complementar é crescente. Não só de cobradores e motoristas, mas também dos passageiros. Nesta quarta-feira, o presidente da Arsal, Ronaldo Medeiros, deve se reunir com o governador Renan Filho para definir uma estratégia que permita a volta gradativa do serviço.


Testagem

O transporte complementar está contemplado na fase amarela. Como apenas Maceió está nesta etapa, o retorno desse serviço seria impraticável, uma vez que suas linhas são intermunicipais. Em busca de uma solução, o governo determinou a testagem dos motoristas e outros trabalhadores do setor complementar.


Decidindo

A Arsal deve apresentar hoje ao governador não só os resultados da testagem dos trabalhadores do transporte complementar, mas também protocolos sanitários para a operação desse serviço, que inclui além do uso de máscaras, álcool gel, limite máximo de passageiros por veículos, um sistema de desinfecção dos carros – com a pulverização de produtos capazes de matar o novo coronavírus.


Expectativa

O setor de transporte complementar tem cerca de 4 mil trabalhadores em Alagoas. Todos eles estão sendo testados. A decisão será tomada pelo governador após ouvir as autoridades de saúde. O que se espera é que retorno aconteça até a próxima segunda-feira


Na espera

O transporte público nas maiores cidades, a exemplo de Maceió, também precisa ser repensado. Apesar da prefeitura da capital ter anunciado o retorno de 100% da frota, os passageiros continuam enfrentado sérias dificuldades para pegar ônibus. Nos horários de pico, os veículos estão circulando lotados, contribuindo para a aglomeração – tudo que não se quer em tempos de pandemia.


Geração de...

A Vivo anuncia que passará a produzir sua própria energia. Por meio do modelo de geração distribuída, a empresa utilizará fontes renováveis de origem solar (61%), hídrica (30%) e de biogás (9%). A iniciativa abrange todas as regiões do País, com usinas operando em 23 estados além do Distrito Federal. Com a conclusão do projeto, a Vivo produzirá cerca de 670 mil MWh/ano de energia, o suficiente para abastecer todo o consumo de uma cidade de até 300 mil habitantes.


...energia

O projeto responderá por mais de 80% do consumo da Vivo em baixa tensão, atendendo mais de 28 mil unidades da empresa, como lojas, torres, antenas, equipamentos de telecomunicações e escritórios. Além de contribuir com o meio ambiente por ser renovável e de baixo impacto, a medida deve gerar à Vivo uma economia anual importante nos gastos com energia.


Sustentável

“A geração distribuída busca consolidar ainda mais o modelo de negócio sustentável da Vivo baseado em fatores ambientais, sociais e de governança (ESG) e que incrementa nosso potencial de geração de valor a longo prazo. Adicionalmente, esta iniciativa reafirma nosso compromisso em manter um consumo de energia 100% renovável, além de impulsionar nossa eficiência gerando reduções relevantes de custo”, diz o vice-presidente de Finanças da Vivo, David Melcon.


Expoagro

Diante da retomada gradativa das atividades, suspensas pela pandemia da Covid -19, a Associação dos Criadores de Alagoas (ACA) confirmou a realização da 70ª edição da Exposição Agropecuária de Produtos e Derivados de Alagoas (Expoagro).

Mais matérias
desta edição